terça-feira, 23 de maio de 2017

CARDIGOS

Hoje foi mais uma voltinha para começar bem o dia, o sol nasce bem cedinho e sabe mesmo bem uma voltinha logo cedinho..

Sai de casa e fui até á Portela dos Bezerrins, segui em frente e passei Moinho do Cabo, Vale do Pereiro, Moinho Branco e Maljoga.


Passei a ponte que passa por cima da Ribeira da Isna e continuei pela antiga estrada que liga a Sertã a Proença a Nova.

Uma bela estradinha só é pena o piso estar em mau estado, mas a subir até se faz bem, nas calmas segui até ao Carvalhal e mais uma pouco cheguei ao cruzamento que segue para os Vales.


Cortei á direita para as  Cimadas Cimeiras, Vales, Carrascal e Chaveira, dia espetacular para umas pedaladas, uma temperatura mesmo no ponto...

Passei a Chaveira e continuei até á pequena Barragem do Vergancinho, parei para tirar uma foto e ver o bonito espelho de água, um pouco mais a baixo existe uma bela praia fluvial, mais pá frente tenho que lá ir dar uns mergulhos.


Tirei a foto e segui viagem, subi um pouco e entrei em Cardigos, ainda estava tudo sossegado, parei no largo principal e tirei uma foto para registar a passagem.


Até aqui tinha tido umas pequenas subidas, agora era hora de umas boas descidas até á Ribeira da Isna, lá fui pelas belas curvinhas sempre a boa velocidade.


Passei ao lado do Azinhal, Vale da Urra e São João do Peso, mais umas pedaladas e passei a ponte que passa por cima da Ribeira da Isna.


Agora era mais uma subida até ás Cortes, sempre descontraído lá fui pedalando, passei as Cortes e Marmeleiro e mais uma subida passada..

Desci depois para a Ribeira da Tamolha, passei a ponte e subi um pouco até ao Vale da Cortiçada e Junceira.


Como ainda tinha tempo segui em frente e desci até á Venda da Pedra, passei na vila da Sertã e para terminar a voltinha passei no Montinho, com mais umas pedaladas cheguei á Mougueira.


Uma breve voltinha logo pela fresca, soube mesmo bem mais umas pedaladas ao raiar do dia, mais uma boa terapia por umas belas estradinhas aqui da zona do pinhal...

E assim foi mais umas belas pedaladas sempre com o lema PEDALAR PARA DESCONTRAIR..




domingo, 21 de maio de 2017

ALTO DA CAVA

Hoje foi dia de uma voltinha bem rapidinha, tinha que ser uma volta curta por motivos familiares, era só para mexer as pernas um bocadinho e matar o vicio...

Sai de casa e desci até á Sertã, parecia um deserto não se via ninguém, pudera um domingo aquela hora só os doidos é que se levantam cedo para ir andar de bicicleta, doido eu ????

Subi até São João do Couto, Zona Industrial e Alto da Carreira, aqui com o terreno mais direito segui pela Aveleira, Tapada, Casalinho, Vale Cortiço, Póvoa da Ribeira Cerdeira e Casal da Escusa..


O dia acordou muito nublado e com cara de chuva, mas o pior era o vento, esse deu luta em alguns bocadinhos da voltinha, mas não é mais teimoso que eu...

Passado o Casal da Escusa segui para os Ramalhos, Sesmo, Amieira, Vale da Froca e Painho, mais um pouco e passei ao lado de Pedrogão Pequeno, não cheguei a entrar na vila..
Segui então para o Vale da Galega, o Zé Almeida não estava lá tinha ido passear, anda um pouco baldas, tem faltado aos treinos, ainda vai ter que pagar uma multa...

Passado o Vale da Galega segui para a Póvoa da Alegria, passei ao lado da Madeirã e segui subida fora até ao Alto da Cava.

Uma subida longa mas sem grande dificuldade, ali o que vale são as paisagens, sempre com uma bela panorâmica das serras ali ao redor, maravilha..


Lá fui indo sempre descontraído até ao Alto da Cava, cortei á direita e tinha pela frente uma bela descida, lá segui e passei Selada da Lameira, Sardinheiras e Cruz do Fundão..


Fiz uma paragem no Café Andrade para beber um cafézinho, encontrei gente conhecida e ali estive um pouco na conversa enquanto bebia o café...
Cafézinho tomado era hora de seguir viagem, despedi-me da malta e segui para o resto da voltinha..


Fui até ao Maxil da Estrada, Barracão, Casalinho de São Fagundo, Rompe Terra e entrei na Sertã ao pé dos Bombeiros.


Desci ao lado da Câmara Municipal e fui direitinho á Pastelaria Estrela Doce para comer o pastelinho de nata, hoje foi ao fim da volta, pois não podia falhar...eheheheehe

Já saciado com a gulosei-ma segui até casa onde cheguei depois de uma boa voltinha neste domingo ventoso..
E assim foi mais uma voltinha com o lema PEDALAR PARA DESCONTRAIR..



quarta-feira, 17 de maio de 2017

BARRAGEM DA BOUÇÃ

Hoje fui ver a Barragem da Bouçã, como tem sido hábito as minhas voltinhas começam cedinho, antes do nascer do sol, hoje estava tudo nublado nem deu para ver o sol nascer, vamos ver amanhã...

Sai de casa e desci até á Sertã, passei a vila e ainda se via pouca gente, ainda era cedo para ir trabalhar.



Sai da Sertã pela Rotunda da Eirinha e Fonte Branca, subi um pouco até ao vale Martinho, Faleiros e Porto da Cruz, aqui cortei á direita e fui até á Estradinha..

Mais á frente cortei á direita e fui até ao Moinho de Vento, para alongar a volta cortei á esquerda e fui até ao Pampilhal, e antes dos Matos do Pampilhal cortei á direita para Porto do Carro e Matos do Outeiro.


Subi um pouco e fui ter á estrada que liga Cernache a Figueiró dos Vinhos, aqui foi descer até á Ponte que passa por cima do Rio Zêzere, ali dá para ver bem o paredão da Barragem da Bouçã...

Parei para tirar umas fotos e ver o rio, tem chovido pouco e o rio leva pouca água, a malta não gosta de chuva mas ela faz muita falta, no verão é que vai ser o delas...


Tudo mirado era hora de seguir viagem, agora era a subir, uma subida feita nas calmas e nada de pressas, fui até aos Carvalhos, Moinho de Vento e Estradinha.


Aqui cortei á esquerda e segui por Casal da Cruz, Morlinho, Castelo, Almas da Arnoia, Casal da Escusa, Verdelhos e Passaria.

Passei por Malpica e fui até ao Vale Cortiço, dei a volta á rotunda e continuei pelo Casalinho, Tapada, Aveleira, Alto da Carreira, Zona Industrial, São João do Couto e entrei na Sertã pela Rotunda da Eirinha..


Para terminar subi pelo Montinho e cheguei á Mougueira depois de mais uma bela voltinha, até a fininha saltava de contente com mais uma voltinha...
E assim foi mais uma voltinha com o lema PEDALAR PARA DESCONTRAIR.




terça-feira, 16 de maio de 2017

CENTRO DE PORTUGAL

Hoje bem cedinho lá fui fazer uma visita ao Centro Geodésico, tb conhecido pelo Picoto da Milriça, é que as vistas lá do alto são mais fixes..

Sai de casa e subi até á Portela, cortei á direita e segui pelo Salomão, Carrascal, Outeiro das Colheres e Bela Vista.

Um pouco mais á frente entrei na Nacional 2, passei pela Junceira, Cumeada, Chão da Telha e Barragem da Ribeira da Isna,..

Até aqui a coisa foi sempre a descer, passada a ponte vinha a bela subida, lá fui pedalando nas calmas até á Fundada e Milriça..

Passei a fonte da Milriça e mais umas pedaladas cortei á esquerda em direção do Centro Geodesico, o Centro de Portugal, dizem que dobrando o mapa ao meio é este ponte que fica na dobra...
Lá segui subida fora, esta é curta mas das boas, cheguei ao alto e parei para ver as belas paisagens que se têm ali do alto, o sol a espreitar lá atrás da serra é um espetáculo...


Tirei umas fotos e segui com a voltinha, até aqui tinha sido a subir, agora tinha uma boa descida pela frente, fiz o mesmo trajeto agora em sentido inverso, passei Milriça, Fundada e Barragem da Isna..

Descida rápida esta eheheheh, depois da ponte foi subir até ao Chão da Telha e Cumeada, fiz uma paragem no café das Bombas para beber um cafézinho.


Café tomado segui até á Junceira,  aqui cortei á esquerda e desci até á Venda da Pedra, entrei na vila e para terminar subi até ao Montinho, com mais umas pedaladas cheguei á Mougueira.


Levantar cedinho e dar umas pedaladas de bike é uma maravilha, uma boa terapia logo pela manhã..

E assim foi mais uma voltinha com o lema PEDALAR PARA DESCONTRAIR..




domingo, 14 de maio de 2017

POR AI PELO MEIO DA NATUREZA

Hoje foi dia de roda grossa, andei por ai por alguns trilhos onde já não pedalava á muito tempo, de vez em quando sabe bem estas voltinhas para recordar alguns cantinhos..


Sai de casa e a chuva parece que ia dar para molhar o fatinho, mesmo assim lá segui até á Pastelaria Estrela Doce para o habitual café acompanhado do pastelinho de nata...

Já saciado segui, mas não sabia bem para onde ir, lá ia andando e  logo se via, segui até á Ponte das Portelinhas e subi até á Zona Industrial, aqui parecia que a chuva tinha ido embora...


Continuei por Carnapete, Codiceirinha e Malpica, lá fui passando trilhos bem molhados e com alguma lama, era para fazer um tratamento á pele  eheheheheehe..


Passei Malpica e andei por alguns singles pela Passaria e Herdade, belas recordações, ia vendo alguns caminhos novos que tb deu para umas descobertas...
Fiz uma paragem na Herdade para beber alguma coisa, ali me entre-ti uma pouco na conversa com pessoal conhecido, bebida tomada era hora de regressar aos trilhos..


Sai da Herdade e subi um pouco até ao Alto onde está o Depósito da Água que abastece a aldeia, uma subida curta mas das boas, deu bem para aquecer...


No alto segui passei o alcatrão e entrei num single até perto do Vale da Mó, já não passava lá á muito tempo e já tem muito mato e muita erva, já deu para arranhar as pernas..


O tempo estava a ficar bom, a chuva estava com vergonha e o sol já queira espreitar por entre as nuvens, uma manhã mesmo á maneira para dar ao pedal..


Segui depois para os Verdelhos, Santo Abril e Sesmo, mais uma vez andei por uns belos singles ali pelo maio da aldeia, bem fixe..
Continuei e fui até Aldeia das Mulheres e Golarã, aqui fiz uma paragem para cumprimentar gente conhecida, encontro muita gente conhecida por essas aldeia...


Despedi-me e segui por um belo caminho até ao Seixo, perto da aldeia do Seixo vi um caminho pouco batido, lá fui ver onde dava, e para meu azar não tinha saída mas não voltei a trás segui pelo meio do mato até que encontrei uma saída...


Lá me safei e entrei num caminho em direção do Castelinho e Castelo, andei por ali um pouco a vasculhar os cantinhos e segui depois para Morlinho, Casal Novo, Ameixoeira e Povoa da Ribeira Cerdeira.


A barriga já estava a ficar vazia, tinha que lhe dar alguma coisa, segui então até ao Vale Cortiço, parei no café e ali comi um bolinho acompanhado de uma bebida.


Com a barriga mais composta segui com a voltinha, passei pelo Carpinteiro, Bailão, Cabeçudo, Santo Estevão, passei depois ao lado do Tojal, Casal Corvo e fui ter ao Alto Ventoso..

Passei a estrada que liga a Sertã a Cernache e fui até á Serrada Nova e Nesperal, ali encontrei mais uns caminhos novos e limpinhos, tinham andado a cortar o mato, bem fixes..

Segui depois para a Moita, Robalo, Calvos, Giesteira e entrei no bonito caminho da Ribeira do Xico, um caminho sempre ao lado da Ribeira da Sertã.


Num sobe e desce lá fui até ao Alto do Boeiro, desci um pouco e entrei na Sertã pela Rotunda da Eirinha, fui fazer mais uma paragem no Café do Jardim da Carvalha.


Uma voltinha bem fixe, sem chuva e com uma boa temperatura, uma maravilha, ali encontrei a minha família que por ali andava a passear a aproveitar o bem tempo...


Coma hora do almoço a chegar lá segui para o resto da voltinha, tinha a ultima subida até á Mougueira, lá segui e mais umas pedaladas cheguei a casa depois de uma excelente voltinha num domingo de manhã..

Soube mesmo bem esta voltinha na roda grossa, pedalar por caminhos para matar saudades e tive sorte que chuva nem vela, consegui chegar a casa com o fatinho enxuto...


E assim foi mais uma voltinha com o lema PEDALAR PARA DESCONTRAIR...