domingo, 15 de julho de 2018

ALDEIA DE XISTO DA FIGUEIRA

Hoje fui ver como estava a Praia Fluvial da Froia, já á algum tempo que não passava por lá, uma pequena Praia Fluvial na Ribeira da Sarzedinha, encontram-se uns moinhos recuperados, muito fixes..


Sai de casa já a hora ia adiantada, não é normal mas ontem foi dia de festa e deitei-me mais tarde por isso a saída tb foi mais tarde, mas a voltinha não podia faltar..

Comecei e fui até á Portela dos Bezerrins, continuei pelo Moinho do Cabo, Vale do Pereiro, Moinho Branco e Maljoga..


O dia acordou farrusco e com cara de chuva, mas estava uma boa temperatura para uma voltinha, depois de passar a ponte que passa por cima da Ribeira da Isna passei o Carvalhal e cheguei a Proença a Nova...

Uma paragem na Pastelaria Estrela Doce II para o café e o belo pastelinho de nata, cafeína e calorias não podem faltar..ehehehe
Mais satisfeito lá segui viagem, segui pelo Vale Porco, Pontão do Laranjeiro, Vale D´Urso, Pucariço, Sobreira Formosa e Oliveiras..
Oliveiras tb faz parte das Aldeias de Xisto, uma aldeia muito pequena, passei e vi pouca gente, segui mais um pouco e fui ter á Praia Fluvial da Froia..
Não se via ninguém, ainda era cedo e o dia não estava convidativo para uma banhoca, andei por ali a ver os cantinhos e a tirar umas fotos...


Tudo bem mirado segui e regressei á Sobreira Formosa, segui então á esquerda em direção da bonita Aldeia de Xisto da Figueira, uma maravilha...


Ali andei a ver as ruelas e a tirar umas fotos, estava um sr a acender o forno para cozer pão e assar um cabrito, só tive pena de não poder ficar para provar o pãozinho quente, e comer um bocadinho de cabrito...
Com as vistas regaladas segui com a voltinha, fui até ás Moitas e fiz uma paragem no Bar Baleia Azul perto do Aeródromo para comer alguma coisa, já estava na hora...

Barriga mais composta segui até Proença a Nova, para não fazer o mesmo trajeto passei Sarzedinha, Eiras, Ribeiro de Eiras, Isna de São Carlos, Maljoga, Vale do Pereiro, Moinho do Cabo e Portela...
Como ainda tinha tempo cortei á esquerda para o Salomão, Carrascal, Outeiro das Colheres, Bela Vista, Ladeiras, Montinho e entrei na Sertã...



Passei no Jardim da Carvalha onde está a decorrer o Festival do Maranho, ainda deu tempo para dar dois dedos de conversa com gente conhecida...

Com a hora do almoço a chegar lá segui para a ultima subida do dia, a subida até á Mougueira, a ultima é sempre a mais difícil...eheheheeh

Cheguei a casa depois de uma voltinha por umas belas aldeias de xisto e umas belas praias fluviais aqui da nossa região, voltinha sempre com o lema PEDALAR PARA DESCONTRAIR....






SANTINHA

Começar o fim de semana com uma voltinha não é nada mau, subir até ao alto é ainda melhor, têm-se lá umas belas paisagens, bom para regalar as vistas...


Quando sai de casa parecia que estava a chover, estava a cair maresia, pensei, vou molhar a camisola, mas lá no alto deve de estar bom tempo para a enxugar, vamos lá ver...

Lá fui pedalando pela Portela dos Bezerrins, Moinho do Cabo e Vale do Pereiro, segui á esquerda e lá comecei a ganhar altitude, passei pelo Pereiro, Vale da Junça e Fontainhas..


Que vista espetacular, parecia um mar de nuvens, que maravilha ver isto bem cedinho, e já dava para ver o sol, estas coisas é só para quem se levanta cedinho...



Tirei umas fotos e segui até á Perna do Galego, um pouco mais á frente cortei á esquerda em direção da pequena Praia Fluvial da Santinha..

Era para dar um mergulho mas a água era capaz de estar muito fresca, é melhor não..ehehehe

Continuei e passei pela Santinha, Figueiredo e cheguei á Várzea dos Cavaleiros, uma paragem no café do Sr António para beber um cafézinho..


Ali me entre-ti a beber o café e a dar dois dedos de conversa, sem pressas, é isto que eu gosto, pedalar e desfrutar as minhas voltinhas..

Café tomado despedi-me e segui pela Aldeia Velha, Póvoa, Poiares e Portela, como ainda tinha tempo segui á direita e fui até ao Farpado, Mosteiro Cimeiro e cheguei á Mougueira...

Mais umas belas pedaladas por umas belas estradinhas e com umas espetaculares paisagens, sempre com o lema PEDALAR PARA DESCONTRAIR...




quarta-feira, 11 de julho de 2018

TRIZIO

Mais uma voltinha para esticar as pernas, o Eduardo acompanhou-me na voltinha de hoje até ao Trizio, fomos ver se a água estava fria...


Sai de casa e passei na Sertã para ir ter com o Eduardo, seguimos pela Venda da Pedra, Junceira e Cumeada, o dia hoje acordou mais limpo,  não havia nevoeiro..

Depois da Cumeada seguimos sempre descontraídos e fomos passando Castanheiro Grande, Casal dos Gafos, Valongo, Casalinho, Tira, Palhais, Lameira dos Reis, Cardal e Trizio..
Passamos o empedrado pelo meio da aldeia e um pouco mais á frente paramos para ver a bela paisagem da Albufeira da Barragem de Castelo de Bode..

Que espetáculo, só se ouviam os passarinhos e o silêncio, é mesmo bom acordar cedo e ver estas maravilhas..


Depois de umas fotos seguimos pelo Centro Náutico do Zêzere e fizemos o mesmo trajeto até á Cumeada onde fizemos uma paragem no Bar das Bombas para um cafézinho..

Café tomado passamos pela Junceira e descemos até á Sertã, o Eduardo ficou em casa e eu subi até á Mougueira, mais uma voltinha com o lema PEDALAR PARA DESCONTRAIR..


terça-feira, 10 de julho de 2018

VALE DO LAÇO

Hoje fui ver se via o Don Sebastião, o Eduardo foi comigo para me ajudar a encontra-lo, andamos a ver mas nada, demos a voltinha de bike e não o encontramos, andava escondido...


Sai de casa desci até á Sertã e fui ter com o Eduardo para mais uma voltinha de fininha, tinha planeado ir até ao Vale do Laço, uma aldeia perto do Troviscainho..

Para começar subimos pela Rua do Castelo, no meio do nevoeiro lá fomos pela Rotunda Rompe Terra, Casalinho de São Fagundo, Barracão, Maxial da Estrada, Cruz do Fundão, Troviscal e Troviscainho..


Aqui o tempo estava mais limpo, já dava para ver o sol a espreitar lá atrás da serra, passamos o Troviscainho e mais á frente no Vale Figueira seguimos á esquerda para o Vale do Laço.


Aqui uma bela subida até á Estrada que vai até ao Alto da Cava, um bocadinho bem bom, ali tínhamos uma paisagem espetacular, nos altos é que se tem as melhores vistas e é bem verdade...


Logo pela manhã ver aquela maravilha não é para todos, é só para os malucos que se levantam cedo para andar de bicicleta, sou maluco mas sou feliz assim...

Safos da subida seguimos á esquerda, passamos pela Selada das Lameiras e nas Sardinheiras encontramos o João Paulo de Oleiros que tb andava a dar a sua voltinha de bike..


Paramos para o cumprimentar e dar dois dedos de conversa, mas era hora de seguir, despedimo-nos dele e descemos mais um pouco até á Cruz do Fundão..


Uma paragem para beber um cafézinho, nas voltinhas pela fresca sempre se apanha um café para repor a dose de cafeina, um café cai sempre bem...


Café tomado seguimos e fizemos o mesmo trajeto até perto dos Bombeiros, como ainda era cedo cortamos á direita e seguimos pela Ponte da Valada, Cruz Fundeira, Codiceira e Zona Industrial.

Já quase a terminar a voltinha passamos São João do Couto e entramos na Sertã pela Rotunda da Eirinha, deixei o Eduardo na Sertã e subi um pouco até á Mougueira..

E assim foram mais umas pedaladas com o lema PEDALAR PARA DESCONTRAIR..




domingo, 8 de julho de 2018

ALDEIA DE SÃO SIMÃO

Hoje fui dar uma voltinha lá para os lados da Aldeia de Xisto de São Simão, já por lá andei algumas vezes, mas é sempre bom rever aquela bonita aldeia com as belas casinhas em pedra...

Sai de casa fui até á Pastelaria Estrela Doce para o Cafézinho e o belo pastelinho de nata, sou mesmo guloso, não falha o pastelinho de nata quando começo as voltinhas com saida na Sertã...


Mais docinho lá dei inicio á bela voltinha, sai da Sertã pela Rotunda da Eirinha e Fonte Branca, subi um pouco até ao Vale Martinho, Faleiros, Fonte da Mata, Porto da Cruz e Estradinha..

O dia acordou muito nublado, estava mesmo bom para umas pedaladas, hoje fui sozinho não tive companhia, gosto de andar sozinho, é bom para por as ideias em ordem, ou não...


Na Estradinha segui até ao Moinho de Vento e Carvalhos, depois era descer até á ponte que passa por cima do Rio Zêzere, ali encontrei a bela panorâmica da Barragem da Bouçã..

Passei a ponte e vamos lá subir um pouco, passei Corisco, Marvila, Aldeia Cimeira, Bairradas, Retiro e entrei em Figueiró dos Vinhos...


Ainda era cedo para parar no café por isso segui viagem pelo Chavelho, Caparito, Aldeia de Ana de Aviz, Ponte de São Simão e depois de uma breve subida cheguei á bela aldeia de São Simão...



Ali me entre-ti um bocado na aldeia a tirar umas fotos e a rever as belas casinhas, que maravilha aquelas casinhas, muito bom gosto, está ali muito trabalho, um espetáculo...


Umas fotos depois lá regressei ás pedaladas, passei novamente na Ponte de São Simão e fui até Aldeia de Ana de Aviz, fiz uma paragem na Praia Fluvial para comer alguma coisa..


Sentei-me na esplanada e ali trinquei um bolinho e bebi uma bebida fresca, estava-se li mesmo bem mas tinha que continuar a volta, nada de molezas...
Fiz o mesmo trajeto até Figueiró, dei a volta á rotunda e segui em direção de Soalheira, Pinheiro Bordalo, Outão, Lameira Cimeira, Mó Pequena, Mó Grande, Ponte de Pera e Pedrogão Grande...

Bela subida da Ponte de Pera até Pedrogão, boa para aquecer um bocadinho, em Pedrogão Grande segui á direita e fui até á Barragem do Cabril e Pedrogão Pequeno...

Normalmente faço uma paragem no Bar da Bombas para beber alguma coisa mas hoje não tinha cede, continuei e fui pelo Painho e Vale da Froca, aqui encontrei o Leandro e o Horácio...

Lá vinham eles na sua voltinha de fininha, mais dois colegas de fininha, mais uns dias já tenho colegas para umas voltinhas mais longas...


Dois dedos de conversa despedi-me deles e cada um foi ao seu destino, eles ainda iam até Pedrogão e eu já ia de regresso á Sertã...


Continuei pela Amieira, Ramalhos, Casal da Escusa, Póvoa da Ribeira Cerdeira, Vale Cortiço, Tapada, Aveleira, Alto da Carreira, Zona Industrial e cheguei á Sertã..
Para terminar foi subir um pouco até á Mougueira, cheguei a casa satisfeito com mais uma bela voltinha com o lema PEDALAR PARA DESCONTRAIR...