sexta-feira, 22 de setembro de 2017

VILAR DA CARGA-TORNEIRAS

Hoje foram umas pedaladas com algum nevoeiro, o dia acordou bem nublado, lá nos altos tinha umas belas paisagens parecia um mar de nuvens, uma maravilha...


Sai de casa e desci até á Sertã, para variar subi a calçada e passei ao lado do Mercado, continuei e passei ao lado da Câmara Municipal e dos Bombeiros...


Um pouco mais á frente na Rotunda do Rompe Terra entrei na estrada antiga que segue para Oleiros, é uma estradinha mais sossegada, aquela hora mais parece uma ciclovia...


Já com o fatinho meio molhado da marzia segui pelo Casalinho de São Fagundo, Barracão, Casal da Estrada, Maxial e Cruz do Fundão...


Cortei á esquerda em direção do Cimo do Ribeiro, mas um pouco antes de lá chegar cortei novamente á esquerda para o Ribeiro do Vilar, esta estradinha é um espetáculo...

Um ciclovia autêntica pelo meio de uns pinheiros e eucaliptos, mesmo fixe, mais á frente fiz um pequeno desvio e andei um pouco em terra batida com a minha fininha, é á Faísca, doideiras....


Continuei e fui até ao Vilar da Carga, desci um pouco e toca a subir até á estrada nacional novamente, uma subidinha curta e grossa...

Já no alto e como ainda tinha tempo segui pelos Lameiros, Torneiras, Aldeia Cimeira da Ribeira e cheguei á Rotunda do Rompe Terra..


Entrei na Sertã pelo cimo da vila, desci a Rua do Vale e para terminar subi até á Mougueira onde cheguei depois de umas belas pedaladas pela fresca...

E assim  foi mais uma voltinha de sexta feira com o lema PEDALAR PARA DESCONTRAIR.




quinta-feira, 21 de setembro de 2017

CASAIS

Mais um dia com voltinha bem cedinho, hoje estava bem fresquinho, as manhãs já não perdoam, o outono está ai á porta...


Sai de casa e fui até á Sertã, comecei a subir pelo São João do Couto, Zona Industrial e Alto da Carreira, com a subida o motor já ia mais quentinho..


Segui então por Aveleira, Tapada, Casalinho, Vale Cortiço e Póvoa da Ribeira Cerdeira, continuei á esquerda e fui até ás Almas da Arnoia..


Um pouco mais á frente segui por Santa Rita e Seixo, cortei á esquerda e fui ter Fonte Fria, Cabeço e Casais...


O sol já custa a nascer, até aqui fui sempre lusco fusco, mas sabe sempre bem umas pedaladas para começar bem o dia...
Depois dos Casais segui até aos Carvalhos, aqui entrei na Nacional 237 e passei pelo Moinho de Vento, Milheirós e cheguei a Cernache do Bonjardim..

Dei a volta á rotunda e segui pelo Alto Ventoso, Vale da Lata, Porto da Cruz, Fonte da Mata, Faleiros, Fonte Branca e entrei na Sertã pela Rotunda da Eirinha...


Passei a vila, segui pelo Montinho e com mais umas pedaladas cheguei á Mougueira depois de uma bela voltinha pela fresca...


E assim foi mais uma bela voltinha com o lema PEDALAR PARA DESCONTRAIR...





domingo, 17 de setembro de 2017

PELA SERRA DE SICÓ

Hoje dia de ir mais uma vez com a minha fininha lá para os lados da Serra de Sicó, existem por lá umas estradinhas bem fixes, e tb existem umas subidas bem puchadinhas...


Meti a fininha na minha carrinha e fui até Avelar, estacionei ao pé das bombas, preparei as coisinhas e lá segui para umas pedaladas na Serra de Sicó e ali ao redor...


Sai de Avelar e desci até ao Pontão, ainda lusco fusco segui em direção da Cumeeira, aqui cortei á esquerda e fui até ás Cabeça Redonda e Figueiras de São João...


Até aqui tinha descido um pouco e nas baixas estava tudo nublado e bem fresquinho, as manhãs já estão mesmo frias, tenho que mudar o guarda roupa...


Lá continuei e fui até ao Peão, Lagarteira, Lagarteira de Cima e Coelhosa, tinha escolhido umas estradinhas mais recatadas para a minha voltinha, é mais sossegado e mais bonito..
Na Coelhosa segui e fui ter ao Vale de Todos, Trás de Figueiró e Alvorge, segui depois um pouco na Estrada que liga Ansião a Condeixa mas por pouco tempo.



Um pouco mais á frente cortei á direita e sempre com a bela paisagens do Castelo de Germanelo fui ter á Quinta da Abougaria e Casas Novas, São Sebastião e Besteiro...


Aqui o céu já estava mais limpo, já dava para ver bem as paisagens, coisa que por estes lados é coisa que não falta, nas encostas da Serra de Sicó as paisagens são um espetáculo....

Mais umas pedaladas e já dava para ver a bela Vila de Penela, desta vez não passei lá, desci um pouco e fui até ao Carvalhal de Santo Amaro, Lagar da Chainça e Camarinha...


Aqui fiz uma paragem no Restaurante Boa Esperança para beber o cafézinho, aproveitei e tb comi um bolinho, o gajo é mesmo guloso, com as pedaladas desaparece tudo....
Caféina tomada segui viagem, passei por Alfafar e um pouco mais á frente segui á esquerda para o Zambujal e Rabaçal, aqui encontrei alguns peregrinos que tinham pernoitado no albergue da vila....



Passei e depois de tirar umas fotos continuei por uma subida até ao Pombalinho, uma subida ligeira e com uma bela panorâmica ali da Serra do Germanelo, bem fixe....

Depois do Pombalinho segui por um sobe e desce, passei Vale Centeio, Ramalheira e cheguei a Degracias, aqui paragem obrigatória para comer alguma coisa no Restaurante o Cruzeiro da Serra...


A senhora faz lá umas sandes de queijo mesmo á maneira, e como as bolinhas são pequenos é sempre a dobrar, depois de duas sandochas e uma mini fresquinha estava pronto para mais uns kms...


Barriguinha cheia toca a seguir viagem, passei por uma enorme pedreira e cheguei aos Baixos e Agudos, um pouco mais á frente entrei na Nacional 1 e fui até á Redinha...

A voltinha estava a correr mesmo bem, a temperatura estava mais amena e lá ia eu sempre descontraído, as minhas voltinhas são sempre assim nada de pressas e sempre descontraídas...
Depois da Redinha segui pela Charneca, Salgueiro, Monte de Vérigo, Pousadas Vedras e Jagardo, aqui é que era o delas, tinha pela frente uma subidinhas daquelas de serrar os dentes...



Cortei á direita e lá me fiz a ela, até Cabeça da Corte a coisa ia doer, e olhem que foi um osso duro de roer, sempre com umas pendentes engraçadas lá fui indo subida fora curva após curva...

Olhava para a próxima curva e dizia é já ali, mas depois da curva a subida ainda não acabava, quando vi a placa da Cabeça da Corte é que já estava safo da dolorosa...


Ufaaaa que esta já está, passei a aldeia e segui por Malavenda, Poço dos Cães, Melriça, Ereiras e Lagoa Parada.


Aqui o terreno já era mais um sobe e desce ligeiro, já não doía tanto, aqui já não faltava muito para terminar a voltinha, estava a gostar muito daquelas estradinhas, muito fixe aquela serra ...

Lá segui depois por Casal de António Braz, Sobreira, Casal do Galvão e Santiago da Guarda, aos domingos é dia de feira, o pessoal aproveita depois da missa e vai ás compras....

Passei no meio de muito transito e continuei a minha voltinha por Matos de Cima, Matos de Santa Barbara, Estrada, Vale do Boi, Anacos e Ansião...


Depois de Ansião segui um pouco pelo IC 8 até á Zona Industrial do Camporês, cortei á direita subi um pouco e desci até aos Comaros, Ponte do Freixo, Pontão e mais umas pedaladas cheguei ao Avelar..


Lá cheguei ao pé da minha carrinha de onde tinha saído umas horas antes para uma excelente voltinha por umas belas estradinhas na Serra de Sicó e arredores....
 Sempre que tenho oportunidade vou andar de bike para sítios diferentes, gosto de conhecer trilhos novos e estradinhas novas, andar sempre no mesmo sitio tb cansa....
E assim foi mais uma bela voltinha de fininha em solitário sempre com o lema PEDALAR PARA DESCONTRAIR...



sexta-feira, 15 de setembro de 2017

TIRA-CORUJOS

Dias fresquinhos e mais uma voltinha bem cedinho, e hoje estava mesmo fresco, já são dias quase de Outono, dias mais pequenos e mais frios...

Sai de casa e subi até á Portela, segui á direita e passei pelo Salomão, Carrascal, Outeiro das Colheres, Vaquinhas, Bela Vista e Cumeada..

Na Cumeada o dia já raiava, o terreno era mais rolante vamos lá dar ao pedal, passei pelo Castanheiro Grande, Casal dos Gafos, Valongo, Casalihno e Tira..


Aqui cortei á direita e desci até á Ponte dos Cavalos, a coisa a descer até  que é rápida o pior é a subida do outro lado, mas nas calmas lá fui indo até aos Escudeiros, a manhã estava fresca e a subida deu para aquecer um pouco...


Passei nos Escudeiros, Corujos, Quintã e entrei em Cernache do Bonjardim, já por lá havia muito movimento, a labuta do dia a dia...

Entrei na grande reta e fui até ao Alto Ventoso, Vale da Lata, Porto da Cruz, Fonte da Mata e Faleiros, aqui a temperatura até que nem era má, no alto está mais ameno...


Depois dos Faleiros é sempre a descer até á Fonte Branca, com mais umas pedaladas entrei na Sertã pela Rotunda da Eirinha, passei a vila já movimentada e para terminar subi até á Mougueira..

Com a ultima subida feita cheguei a casa depois de uma excelente voltinha pela fresca, mesmo bom para terminar a semana...

E assim foi mais uma bela voltinha sempre com o lema PEDALAR PARA DESCONTRAIR...