terça-feira, 15 de agosto de 2017

CASTANHEIRA DE PERA

Dia de feriado e dia de voltinha, hoje na companhia do Marco Dias, depois de um dia de trabalho um feriado sabe sempre bem...
Tem que se aproveitar estes dias de feriado para dar umas pedaladas, hoje fui até Castanheira de Pera com o Marco Dias, é triste ver aquilo tudo queimado, não tenho palavras para aquilo que vejo...


Sai de casa e fui até á Pastelaria Estrela Doce para beber o Cafézinho, sabe bem a dose de cafeina logo cedinho, assim sendo lá fui ao encontro do Marco...


Sai da Sertã subi pelo São João do Couto, Zona Industrial, Alto da Carreira, Aveleira, Tapada e Vale Cortiço, aqui já o Marco estava á minha espera...


Comprimentos feitos e seguimos viagem, fomos pela variante até Cernache do Bonjardim, na rotunda seguimos á direita em direção de Milheirós, Moinho de Vento e Carvalhos..


Continuamos pela bela descida até á Barragem da Bouçã, passada a ponte bora subir um pouco, passamos pelo Corisco, Bairradas, Marvila e mais um pouco chegamos a Figueiró dos Vinhos..



Fizemos uma paragem no Pastelaria dos Renatos para comer alguma coisa, a malta pedala mas tb come bem, ali comemos um bolinho para a viagem..


Barriga mais composta e continuamos em direção de Alagoa, São Nicolau, Troviscal e chegamos a Castanheira de Pera, fomos dar uma mirada á bela Praia das Rocas.


Aquela hora já se fazia fila para entrar, muita gente a comprar bilhete para ir passar ali o dia, até autocarros ali estavam a descarregar pessoal, praia muito concorrida...

Tiramos umas fotos e continuamos a voltinha, entramos na estrada que segue para a Derreada Cimeira, uma ligeira subida muito fixe de se fazer...


Já no alto da Derreada começamos a descer até á Picha, Venda da Gaita, Tojeira, Valongo, Vale da Manta e entramos em Pedrogão Grande, á entrada da vila seguimos á esquerda para Vale de Gois..


Uma boa descida até perto da Barragem do Cabril, passamos por cima da Barragem e subimos um pouco até Pedrogão Pequeno, fizemos uma paragem no Café do Mercado para comer mais alguma coisa..

Um bolinho caiu que nem ginjas, não se pode andar muito tempo sem comer algum docinho, a malta é mesmo gulosa...eheheheheeh


Gula saciada seguimos com as pedaladas, passamos Painho e Vale da Froca, aqui tinha uma surpresa para o Marco.



Cortamos á direita e seguimos para o Vale do Rei, e até ao Vale das Macieiras seguimos por uma subidinha daquelas curta e grossa, até o Marco assoprava...eheheeh

No alto seguimos pelo Sesmo, Santo Abril, Ramalhos e Casal da Escusa, um pouco á frente despedi-me do Marco que seguia por ali até casa, eu segui em frente para o resto da voltinha..


Fui até ao Vale Cortiço e Casalinho, segui pela direita e passei Casal Cotelo, Carpinteiro, Bailão, Cabeçuco, Faleiros, Gravito, Outeiro da Lagoa, Olival e Alto do Boeiro...


Ali do alto já dá para ver a bonita vila da Sertã, foi só descer e entrei na vila pela Rotunda da Eirinha, fiz uma breve paragem no Bar da Carvalha para beber uma bebida fresca...


Mais fresco continuei para o resto das pedaladas, foi subir mais uma vez pelo Montinho e cheguei a casa depois de mais umas belas pedaladas na companhia do amigo Marco Dias...


E assim foi mais uma manhã de pedaladas neste dia de feriado sempre com o lema PEDALAR PARA DESCONTRAIR...




domingo, 13 de agosto de 2017

ISNA DE OLEIROS-PENEDO FURADO

Hoje foi dia de fininha na companhia do Alexandre, tinha um picnic com a família na bonita praia Fluvial do Penedo Furado, tinha que arranjar uma voltinha para lá ir ter..


Combinei com o Alex na Pastelaria Estrela Doce, cheguei lá bebemos o cafézinho acompanhado do belo pastelinho de nata e seguimos viagem...


Saímos da Sertã pela Rua do Castelo, passamos perto dos Bombeiros Voluntários e Rompe Terra, aqui entramos na antiga estrada que segue para Oleiros.


Sempre descontraídos lá fomos pedalando por Casalinho de São Fagundo, Barracão, Maxial da Estrada, Cruz do Fundão, Troviscal, Vale do Inferno e Troviscaínho...


A manhã estava fresquinha era pedalar para aquecer um pouco, sempre na conversa e nada de pressas lá seguimos pelo, Chelhinho, Mosteiro de Oleiros, Lameirinhos do Pisão e Oleiros..

Não entramos na vila passamos ao lado, um pouco mais á frente seguimos pela direita e para apimentar a coisa um pouco seguimos pela Carvalheira e toca a subir até ao alto da Serra dos Alvelos.

São uns bons kms sempre a subir, mas as paisagens são bonitas é lá do alto..eheheheh

Nas calmas lá fomos indo subida fora, por acaso já não passava por ali há muito tempo, confesso que já tinha saudades de pedalar por aquela estradinha...


Passada a fonte e mais um pouco chegamos ao alto, agora era descer mas com cuidado porque o vento estava meio de lado, e todo o cuidado é pouco, nada de deitar a casaca...

Ali no alto já apanhei um belo cagaço, o vento é meio traiçoeiro, a subida cansa e depois a malta lança-se na descida, mas é preciso ter cuidado...
A boa velocidade passamos ao lado da Isna de Oleiros, Soito e com mais umas pedaladas depressa chegamos ao Vale D´Urso..
No cruzamento um pouco mais á frente despedi-me do Alex, ele seguia por Proença-a-Nova e ia até á Sertã, eu seguia pela esquerda, ia pela casa dos meus pais e depois Penedo Furado...
Despedidas feitas e cada um seguiu viagem, continuei e fui ter ao Caniçal Cimeiro, Caniçal Fundeiro, Vale da Carreira, Mesão Frio, Arganil, Freixoeiro, Gargantada, Cabo e cheguei ao Robalo...
Cheguei encontrei a minha irmã e a Luísa, os meus pais tinham ido passear, ali me entre-ti um bocadinho na conversa, mas não podia demorar tinha que ir ver do almoço, a barriga já agradecia...


Despidi-me e continuei a voltinha pela Granja, Vinha Velha, Pé da Serra, Revelha, Palheirinhos e Amêndoa.

Aqui decidi ir por Vila de Rei, como ainda tinha um tempinho toca subir um pouco até perto da Palhota, aqui a coisa aligeirava, era só rolar e descer, mesmo bom para terminar a voltinha...


Depois da Palhota e Portela cheguei a Vila de Rei, segui á esquerda entrei na antiga Nacional 2 passei pelo Penedo e Casais da Pereira, com mais umas pedaladas cheguei ao Penedo Furado...

Está ali um belo cantinho para passar o dia, o pior é que as ribeiras levam pouca água, a chuva foi pouca e com o calor está a ser muito complicado, tem que se poupar água....


Já por lá estava a família reunida para o almoço, fui arrumar a bike, tomar um banhinho e ir encher a barriga que já tinha falta de comidinha...


Ali passei o resto do dia em família e ao fim do dia regressei a casa satisfeito com mais uma bela voltinha e um belo almocinho em família...
E assim foi mais uma excelente voltinha metade com a companhia do Alex e o resto em solitário e sempre com o lema PEDALAR PARA DESCONTRAIR...




sexta-feira, 11 de agosto de 2017

MENDEIRA

Depois de uma semana sem dar ao pedal hoje não podia falhar uma voltinha para mexer as pernas um pouco...

Na companhia do Eduardo lá fui para mais uma voltinha pela fresca, as manhãs já estão fresquinhas mesmo sendo Agosto, já não é nada como antigamente...


Sai de casa e fui ter com o Eduardo, seguimos e saímos da Sertã pela Rotunda da Eirinha, subimos um pouco até ao Alto do Boeiro, Olival e Outeiro da Lagoa...


O dia já lá vinha a raiar e o sol a espreitar lá atrás da serra, uma maravilha, passado o Outeiro continuamos pela Lameira da Lagoa, Ponte do Robalo e Nesperal..


Sempre descontraídos continuamos por Vale Matias Afonso, Paparia, Cernache do Bonjardim e Roda, aqui cortamos á direita e descemos até ao Porto dos Fuso e Mendeira..
É uma tristeza ver aquilo tudo preto, malditos os que põem o fogo deviam arder lá no meio, é impressionante o que já ardeu este ano....

Depois da Mendeira seguimos até á Ponte do Vale da Ursa, aqui cortamos á esquerda e toca a subir até ao Casal da Madalena, boa subida esta...


Nas calmas lá fomos subida fora, a subida nem é muito má, com calma e descontração é muito mais fácil...


No alto passamos pela Portela da Oliveira, Casal da Madalena, Roda e Cernache, passamos a vila já bem movimentada e entramos na grande reta até ao Vale da Lata e Porto da Cruz..


Como ainda tínhamos tempo seguimos em frente e fomos até ao Vale Cortiço, fizemos uma breve paragem no Café a Esplanada para beber um cafézinho..





Café tomado seguimos para o resto da voltinha, passamos pela Tapada, Aveleira, Alto da Carreira, Zona Industrial, São João do Couto e entramos na Sertã...


Deixei o Eduardo perto de casa e segui até á Mougueira onde cheguei depois de mais umas belas pedaladas pela fresca com uma bela companhia...
E assim foi mais uma voltinha com o lema PEDALAR PARA DESCONTRAIR...