segunda-feira, 17 de julho de 2017

VOLTINHA EM DIA DE ANIVERSÁRIO

Hoje na companhia do Zé Almeida e do Marco Dias fui dar uma voltinha de fininha, a volta tinha que ser curta por motivos familiares..

Sai de casa e desci até á Sertã, ainda encontrei gente que vinha da noite, depois do Festival do Maranho encontrei malta bem alegre...

Lá segui por São João do Couto, Zona Industrial, Alto da Carreira, Aveleira, Tapada, Casalinho, Vale Cortiço e Povoa da Ribeira Cerdeira..

Aqui a subida já tinha passado, já era mais rolante, um pouco mais á frente lá estava o Zé Almeida á minha espera, comprimentos feitos e toca a seguir até ao Castelo onde tinha combinado com o Marco Dias..


Nas Almas da Arnoia lá vinha o Marco ao nosso encontro, aqui com o trio completo seguimos para a nossa voltinha, passamos Castelo, Morlinho e Estradinha..
Aqui seguimos á direita por um sitio agora triste por causa dos fogos, aquilo está tudo preto, as paisagens não são as mesma coisa, mas com calma as coisas vão mudam...


Passamos por Moinho de Vento, Carvalhos e a boa velocidade depressa chegamos á ponte que passa por cima do Rio Zêzere, e com a bela vista da Barragem da Bouçã..


Pela frente tínhamos uma boa subida, passamos Corisco, Marvila, Bairradas, Aldeia Cimeira e mais um pouco entramos em Figueiró dos Vinhos, fomos até á Pastelaria Rota Malhoa para comer alguma coisa..

Ali nos entretemos um bocadinho na conversa e a trincar alguma coisa, o dia tinha acordado fresquinho mas vinha lá calor, era melhor hidratar...


Barriguinha composta continuamos as pedaladas, saímos de Figueiró em direção de Pinheiro Bordalo, Outão, Lameira Cimeira,  Mó Pequena e Mó Grande..

Aqui cortamos á direita e fomos passar na aldeia do Sobreiro, descemos depois até á Ribeira de Pera e toca a subir até Pedrogão Grande...


Já em Pedrogão Grande seguimos pela direita fomos ter á Barragem do Cabril e subimos um pouco até Pedrogão Pequeno.

O Zé Almeida ficava por ali e nos continuamos com a voltinha, despedimo-nos dele e passamos Painho, Vale da Froca, Amieira, Ramalhos e Casal da Escusa..



Aqui o Marco Dias seguiu para o Castelo e eu continuei pela Póvoa, Vale Cortiço, Tapada, Aveleira, Alto da Carreira, Zona Industrial, São João do Couto e entrei na Sertã pela Rotunda da Eirinha..


Fui até ao Bar da Carvalha para beber alguma coisa fresca, mais fresco lá segui até á Mougueira onde cheguei depois de uma bela voltinha com belos companheiros...

E assim foi mais uma excelente voltinha com o lema PEDALAR PARA DESCONTRAIR..





quinta-feira, 13 de julho de 2017

BORREIROS-FUNDADA

Hoje mais uma voltinha logo cedo, esta semana ainda não tinha pedalado, mas hoje lá arranjei um bocadinho para esticar as pernas.

Sai de casa e fui até á Portela, cortei á direita para o Salomão, Carrascal, Outeiro das Colheres, Vaquinhas Cimeiras e Vale da Cortiçada.


Os dias acordam meios fresquinhos, nos sítios mais baixos dá para arrepiar, mas as pedaladas dão para aquecer um pouco...

No Vale da Cortiçada segui á esquerda e desci até á Ribeira da Tamolha, passei a ponte e subi um pouco até ás Cortes..


Aqui já o sol vinha a espreitar lá atrás da serra, os dias já são mais curtos, já se nota bem, mas mesmo assim é sempre bom uma voltinha bem cedinho...
Passei as cortes e lá desci um pouco até á Ribeira da Isna, entrei no Concelho de Vila de Rei e lá segui até ao Vale da Urra..

Aqui já encontrei gente na labuta, começar cedo e trabalhar pela fresca sabe melhor, depois do almoço descansa-se um bocadinho..


Um pouco depois do Vale da Urra cortei á direita para Fundo da Lameira, Borreiros, Relva, Fontainhas e Fundada..


Aqui entrei na Nacional 2 e passei a Barragem da Ribeira da Isna, Chão da Telha e cheguei á Cumeada, fiz uma breve paragem no Café das Bombas para beber um cafézinho..


Saciado com a caféina segui para o resto da voltinha, segui até á Junceira e desci pela antiga N 2 e entrei na Sertã pela Venda da Pedra..
Para terminar subi pelo Montinho e cheguei á Mougueira depois de uma bela voltinha pela fresca..lema PEDALAR PARA DESCONTRAIR..






domingo, 9 de julho de 2017

MARTIM BRANCO

Hoje foi dia de mais uma voltinha, fui dar uma vista de lhos á bela Aldeia de Xisto de Martim Branco, já lá tinha passado ao lado mas nunca a tinha ido visitar.


Sai de casa com a minha fininha dentro da minha viatura e fui até Vila de Oleiros, estacionei a viatura, preparei as coisinhas a lá fui dar umas pedaladas..

Arranquei por volta das 6 h 45, uma tasca bem perto do jardim já estava aberta, devia de ser por causa ser dia de Feira, aproveitei e fui beber o cafézinho..

Caféina ingerido dei inicio á voltinha, segui em direção da Foz da Panasqueira, Ribeiro do Milrico e Milrico, um pouco depois de Vale das Ovelhinhas cortei á esquerda para as Rabaças..

Lá subi até ás Rabaças e Casal da Portela, mais umas pedaladas e já no alto tinha a boa descida até Cambas, boa descida esta, a subir faz mais mossa..

Foram uns bons km sempre a bombar, já em Cambas parei para tirar uma foto e segui até á Ponte de Cambas, não cheguei a passa a ponte aqui cortei á direita e lá fui subida fora até ao Orvalho.


Uma subida longa mas sem grande dificuldade, sempre descontraído lá fui pedalando, o dia por ali estava meio nublado, e até estava fresquinho, a subida foi boa para aquecer..ehehehe

Cheguei ao Orvalho segui á direita e continuei a subir, passei por uma parte onde tinha ardido á pouco tempo, isto está tudo louco é fogos por todo o lado....

Mais á frente passei Casas da Zebreira e Foz Giraldo, aqui a subida acabou, agora era descer por ai fora, passei Lameirinha e perto do Padrão cortei á esquerda para Martim Branco..


O desvio foi curto, entrei então em Martim Branco uma aldeia muito sossegada com algumas casinhas de xisto bem arranjadinhas.

Dei a volta á aldeia e fui tirando umas fotos, fui depois até ao Bar do Turismo Rural Xisto Sentido comer e beber alguma coisa, ali estive na esplanada a trincar alguma coisa e a beber um bebida fresca...


Fui atendido por uma senhora muito simpática, estava-se mesmo bem ali na esplanada ouvia-se a ribeira a correr as rãs e os passarinhos a cantar, um espetáculo...


Estava-se ali mesmo bem mas tinha que seguir viagem, ainda tinha uns km pela frente, por isso toca a pedalar...


Despedi-me da Senhora e voltei a até á estrada Nacional 112, segui á esquerda por mais um pouco de descida e cortei á direta para Vale Ferradas..


Passei por Vale Ferradas, Grade, Vale Dona Maria e Azenha de Cima, até aqui a coisa tinha sido ligeira, o pior estava para vir...
Na Azenha de Cima segui á direita para uns metros mais á frente cortar á esquerda, ali tinha uma boa subida pela frente, mesmo boa para aquecer...

Já lá tinha descido uma vez mas acho que tinha custado menos, as descidas são muito mais rápidas...eheheheh







As subidas são boas para ver as paisagens, a malta vai nas calmas e dá para ver tudo, agora as descidas passam tão rápido que não dá para ver nada...eheheheheh


Lá segui nas calmas subida fora até perto do Pião, a subida no inicio nem é má de todo a partir do meio é que ela começa a doer...










Passei Pião e a subida continua mas mais suave, passei depois por Poeiros, Cova da Azenha e Cardal, aqui o motor já ia bem quente, mas a subida estava quase a terminar...


Mais umas pedaladas e cheguei á estrada nacional que liga Oleiros a Foz do Giraldo, já safo da subida cortei á esquerda e a descer cheguei a São Torcato e logo de seguida Estreito..
Lá vinha eu descansadinho quando de repente vejo uma figueira com uns figos do tamanho astronómico, tive que fazer uma paragem forçada, e a muito custo tive que os provar...


Que maravilha de figos tive que provar uns poucos para ver eram mesmo bons, e olhem que eram uma maravilha, só é pena ser fora de mão se não passava lá todos os dias...eheheheh


Provados os figos segui com a voltinha, passei por Retaxo, Ameixoeira, Roqueiro, Milrico, Ribeira do Milrico e Foz da Panasqueira, ao fundo da grande reta cortei á esquerda e fui até ao Açude Pinto.


Passei na Praia Fluvial Açude Pinto e fui fazer uma paragem no Bar do Parque de Campismo para beber uma bujeca fresca...


Sentei-me na esplanada e ali bebi a merecida cervejinha preta, foi uma bela voltinha por umas belas estradinhas, com umas belas paisagens e uma bonita aldeia de xisto pelo meio...

Mais fresco fui até Oleiros onde tinha a minha viatura, arrumei a bike e o resto das coisinhas e regressei a casa satisfeito com mais umas belas pedaladas numa manhã de domingo...

E assim foi mais uma voltinha com o lema PEDALAR PARA DESCONTRAIR..