quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

ROLÃ-ALTO VENTOSO

Esta quarta feira foi dia de mais umas pedaladas ao raiar do dia, está fresquinho mas sabe bem uma voltinha para aquecer.



Sai de casa e subi até á Portela, ainda meio de noite cortei á direita e fui passando Salomão, Carrascal, Outeiro das Colheres, Vaquinhas Cimeiras e Bela Vista.



Passei a Cumeada segui pelo Casal do Calvo, Castanheiro Pequeno e Valongo, mais á frente cortei á direita para a Rolã e desci até á Ponte das Cabras...


Na descida estava bem fresquinho mas depois da ponte que passa por cima da Ribeira da Sertã vinha a boa subida até á Galeguia, mesmo boa para aquecer..



Comecei a subir nas calmas, nada de pressas, as subidas são para fazer nas calmas para ver as paisagens, já que as descidas não temos tempo de as ver..ehehehehe

Já no alto e depois da Galeguia segui pela Felgaria, Nesperal, Malha Pão e Alto Ventoso, cortei á direita e fui até ao Porto da Cruz.

Aqui segui em frente e entrei na variante nova até ao Vale Cortiço, aqui já se via mais movimento, muita gente a ir trabalhar, para muitos a véspera de um fim de semana prolongado, mas só para alguns....


 Depois do Vale Cortiço entrei na Nacional 2 e passei Casalinho, Tapada, Aveleira, Alto da Carreira, Zona Industrial, São João do Couto e entrei na Sertã pela Rotunda da Eirinha.



Passei a vila mais movimentada segui pelo Montinho e com mais umas pedaladas cheguei á Mouguiera depois de mais uma voltinha pela fresca.

E assim foi mais uma voltinha com o lema PEDALAR PARA DESCONTRAIR.




terça-feira, 6 de dezembro de 2016

FONTAINHAS-CASTANHEIRO TROCHO

Dia de voltinha bem cedinho, ainda era de noite quando sai para a minha voltinha, os dias estão mesmo curtos mas mesmo assim tem que se dar umas pedaladas para manter a linha..

Sai de casa e subi até á Portela dos Bezerrins, continuei em frente e lá segui até ao Moinho do Cabo e Vale do Pereiro, aqui cortei á esquerda e subi até ao Pereiro, Vale da Junça e Fontainhas.



Aqui no alto já dava para ver o sol a espreitar lá atrás da serra, e a temperatura aqui no alto era bem mais agradável que nas baixas, ou se calhar era eu que já ia mais quente com as subidas....


Nas Fontainhas cortei á esquerda e desci até ao Pisão, uma descida rápida como sempre, subi depois um pouco até á Várzea dos Cavaleiros e continuei pela Aldeia Velha, Póvoa e Poiares.


Passei por cima  do IC 8 e mais á frente segui para a Ramalhosa e Castanheiro Troncho, uma aldeia meio perdida na encosta da Serra da Pedreneira.


Segui por uma estradinha alcatroada á pouco tempo e fui ter á Pedreneira, continuei depois pelo Mosteiro Cimeiro e mais umas pedaladas cheguei á Mougueira com mais uma voltinha curta numa manhã fresquinha.

E assim foi mais uma voltinha com o lema PEDALAR PARA DESCONTRAIR.




domingo, 4 de dezembro de 2016

VOLTINHA COM A MALTA DA BIKEAHOLICS

Hoje foi dia de voltinha na terra com a malta do grupo Bikeaholics, grupo com malta bem disposta, alguns membros do grupo não vieram com medo da chuva, temos pena porque esteve um dia espetacular.


Combinamos uma voltinha com saída de Pedrogão Pequeno, logo cedo fui ter a casa do Hugo Lopes para me juntar ao resto da malta, tudo reunido e lá seguimos até Pedrogão Pequeno.


Chegamos estacionamos as viaturas perto do Mercado, preparamos as bikes e o resto do material para dar inicio á voltinha, um grupo de 8 amantes do pedal que se juntaram para dar umas pedaladas por uns belos trilhos.



Tudo pronto e demos inicio á voltinha, para começar passamos por umas ruelas de Pedrogão para depois seguir o trilho pedestre até ao Moinho das Freiras, a descida foi num estantinho...



Depressa chegamos ao parque de merendas á entrada do bonito túnel escavado na pedra, pelo que sei este túnel foi feito para dar apoio ás obras da Barragem do Cabril.


Tiramos umas fotos e seguimos o caminho até á Ponte Filipina, sempre ao lado do Rio Zêzere com umas paisagens espetaculares, uma maravilha aquele bocadinho...
Já em cima da Ponte Filipina e depois de umas fotos era hora de nos fazermos á bela subida até Pedrogão Grande, uma subida um pouco difícil e escorregadia...


Nas calmas lá fomos subida fora, antes de chegar a Pedrogão Grande fizemos uma paragem no Miradouro de Nossa Senhora dos Milagres para ver as belas vistas que se tem ali do alto, e tb tirar umas fotos para mais tarde recordar...

Tiradas as fotos continuamos as pedaladas, até Pedrogão Grande foi um rápido, passamos a vila e seguimos até ás Fontainhas, aqui descemos e fomos ter a uma antiga ponte que passa por cima da Ribeira de Frades.


Depois da ponte seguimos por uma single ente muros até aos Troviscais, uma subida um pouco escorregadia por causa das pedras molhadas, mas nada que nos mete-se medo, a malta é dura de roer...


Já nos Troviscais seguimos em frente em direção dos Escalos Fundeiros, passado os Escalos seguimos para uns cantinhos ali perto onde já por lá tinha passado e tinha que os mostrar aos colegas da voltinha.


Por ali andamos a ver uns belos recantos da Ribeira de Freire, paramos num belo açude para beber uma jeropiga que levava na mochila, já por ali havia um colega que estava com desejos...ehehehehe

Ali nos entretemos um pouco a tirar umas fotos e a degustar a bela pinga, um cantinho espetacular, já por ali passei algumas vezes e é sempre bom regressar....



Tiradas as fotos e com a boca mais doce seguimos viagem, subimos depois até á Nacional 2, continuamos um pouco por alcatrão até á Venda da Gaita, Picha e Alto da Louriceira.


Aqui fizemos uma paragem no Café do Alto para comer alguma coisa, com a barriga mais composta era hora de seguir com as pedaladas.



Andamos um pouco e cortamos á esquerda para descer por uma bela descida até á Mega Fundeira, descida das boas e sempre a boa velocidade...


Já na Mega entramos no caminho que segue sempre pelas margens da Albufeira da Barragem do Cabril, um caminho com umas paisagens á maneira sempre com o espelho de água na mira..


Fomos pedalando e parando para tirar umas fotos e regalando as vistas com a bela paisagem, encontram-se por ali algumas casinhas de estrangeiros que escolheram o sossego para viver, fugiram ao corrupio das grandes cidades..
Um caminho com perto de 18 kms sem grandes dificuldades, é pena a barragem estar um pouco baixa, com o nível da água mais alto as paisagens ainda são mais bonitas.




Já perto do final do caminho ainda tivemos tempo de ir dar a volta á ilha, ali existe um parque de merendas com uma bela vista para a albufeira..


Depois seguimos e fomos ter ao Restaurante Lago Verde, subimos um pouco para descer até ao paredão da  Barragem do Cabril, paramos mais uma vez para tirar umas fotos..


Fotos tiradas e seguimos para a ultima subida do dia até Pedrogão Pequeno onde tínhamos partido umas horitas antes para a nossa voltinha.




Mais umas pedaladas e chegamos ás nossas viaturas, arrumamos as bikes e o resto do material e regressamos á Sertã depois de uma espetacular voltinha.


Uma manhã que era para ser de chuva mas por fim foi uma excelente manhã de sol, uma maravilha de manhã e um grupo espetacular, gente muito fixe, temos que combinar outras voltinhas....

Regressamos á Sertã para o banho e um almoço brutal em casa dos pais do Hugo Lopes, ali nos entretemos a comer uma bela feijoada a beber uma bela pinga e a dar dois dedos de conversa...


Barriguinha cheia e fomos beber um cafézinho para a despedida, depois cada um foi á sua vida depois de uma belo dia de convívio..


Quero agradecer com um grande OBRIGADO a todos pela companhia nesta manhã de domingo...

E assim foi mais uma voltinha com o lema PEDALAR PARA DESCONTRAIR...





terça-feira, 29 de novembro de 2016

VALE DA MÓ-CABEÇUDO

Acordar cedo e ir dar umas pedaladas por essas estradinhas mais sossegadas aqui da região é uma maravilha, ver o sol a espreitar lá atrás da serra é mesmo bom para começar bem o dia.


Sai de casa e desci até á vila, aqui já encontrei alguns carros, muita gente tem que se levantar cedo para ir trabalhar, já outros levantam-se cedo para ir andar de bicicleta...eheheheh


Passei a Sertã e subi até ao São João do Couto, Zona Industrial, Alto da Carreira, Aveleira, Tapada, Casalinho e Vale Cortiço.



Na rotunda mais á frente segui á direita e lá fui indo por Malpica, Passaria, Herdade e cheguei ao Cimo da Ribeira, aqui a temperatura já era mais agradável, ou era eu que já ia quente..


Segui depois para o Vale da Mó e Verdelhos, passei na aldeia e nem vivalma, ainda estava tudo recolhido, devia de ser por causa do frio..

No meio dos Verdelhos cortei á direita e fui ter ao Casal da Escusa, aqui segui pela esquerda e passei Adegas da Selada e Mourisco.
Sai do Mourisco e fui em direção das Almas da Arnoia, continuei para Póvoa da Ribeira Cerdeira, Granja, Cabeçudo e Faleiros.



Como ainda tinha tempo segui em frente e passei pelo Garvito, Lameira da Lagoa, Outeiro da Lagoa, Olival, Alto do Boeiro e entrei na Sertã pela Rotunda da Eirinha.


Passei a vila mais movimentada e subi até ao Montinho, com mais umas pedaladas cheguei á Mougueira depois de mais uma bela voltinha pela fresca.

E assim foi mais uma voltinha com o lema PEDALAR PARA DESCONTRAIR.