sexta-feira, 23 de junho de 2017

TRIZÍO

Hoje foi dia de voltinha na fininha, depois de uma semana meio atribulada hoje lá consegui dar umas pedaladas pela fresca e na companhia do Marco Dias..


Saímos da Mougueira ainda não eram bem 6h, subimos um pouco até á Portela dos Bezerrins, aqui cortamos á direita e lá fomos descontraídos pelo Salomão, Carrascal e Outeiro das Colheres..


O dia acordou fresco mesmo bom para a voltinha, já tinha saudades destas voltinhas pela fresca bom para recarregar baterias..


Um pouco mais á frente cortamos á esquerda para Vaquinhas, Bela Vista, Cumeada, Castanheiro Grande, Valongo, Rolã, Casalinho, Palhais, Lameira dos Reis, Cardal e entramos no Trizio..


Passamos o empedrado para abanar o esqueleto um pouco e á saída da aldeia entramos na Ciclovia até ao Centro Náutico do Zêzere..
Um belo cantinho para regalar as vistas, a bonita Albufeira da Barragem de Castelo de Bode mesmo ali ao lado...


Contornamos a pequena península e subimos pelo mesmo trajeto até á Cumeada, uma subida ligeira mas longa, é mesmo boa para descontrair...


Chegamos á Cumeada e fizemos uma paragem no Café das Bombas para beber um cafézinho, soube bem o café depois de umas pedaladas...


Cafézinho tomado seguimos para o resto da voltinha, seguimos até ao Alto da Junceira e descemos pela antiga Nacional 2 até á Venda da Pedra.


Passamos na vila da Sertã, subimos pelo Montinho e chegamos á Mougueira depois de umas belas pedaladas pela fresca, hoje com a boa companhia do Marco...

E assim foi mais uma voltinha com o lema PEDALAR PARA DESCONTRAIR..




quarta-feira, 21 de junho de 2017

CHAVES-VISEU, PELA NACIONAL 2

Depois de uma noite descansada levantei-me cedinho para dar inicio á aventura pela Nacional 2 abaixo, por ai abaixo não é bem assim, tem muitas e boas subidas pelo meio...


Sai do Hotel e logo de olho bem aberto á procura de um sitio para tomar o pequeno almoço, depois de ter feito 500 mt encontrei o Café Teixeira aberto, ali começam a trabalhar bem cedo...

Ali tomei um belo pequeno almoço, o dia ia ser longo, por isso nada da ir de barriga vazia, pequeno almoço tomada segui até ao marco zero, onde se inicia a Nacional 2.


Foto da praxe e pouco passava das 6h 30m comecei a minha aventura, a saída de Chaves e mais rolante nada de dificuldades, segui por Outeiro Jusão, Vila Nova de Veiga, Bobeda e Vila Nova de Tâmega..

Com umas ligeiras subidas e descidas lá segui por Vidago, Oura, Sabroso de Aguiar e Pedras Salgadas, aqui fiz uma paragem para beber um cafézinho..

Encontrei uma pastelaria e entrei para o habitual cafézinho, uma vila termal, por ali existem varias termas medicinais, é uma vila termal...

Café na barriga era hora de continuar a voltinha, sempre descontraído lá segui sempre desfrutando do que ia encontrando pelo caminho, segui então por Vila Meã, Sampaio,  Nozedo e Vila Pouca de Aguiar.

Passei no meio da vila e passei nas bonitas ruelas, Vila Pouca de Aguiar a Capital do Granito, muitas calçadas pelas ruas fora, aquelas pedras todas bem bonitas...

Passei e fui tirando umas fotos, sai da vila em direção de Fontes, Vila Chão, Covelo, Vilarinho de Sarnadã, Benagouro, Escariz, Gravelos, Calçada e entrei em Vila real...


Entrei na cidade e ia de olho num sitio para comer alguma coisa, ali ao lado do Rio Corgo encontrei a Pastelaria Doce Leonor, umas belas sandochas e um suminho caíram mesmo bem..
Barriguinha cheia era hora de continuar as pedaladas, sai de Vila Real e subi um pouco até Parada de Cunhos, um pouco antes de chegar a Ribeirões parei num fontanário para encher os bidons de água fresca...


Uma bela estradinha cheia de curvinhas como eu gosto, passei depois Ribeirões, Cumeeira, Assento e Covelo, que estrada espetacular esta com uma bela paisagem do Alto Douro Vinhateiro...


Fui parando para tirar umas fotos e deliciando-me com as paisagens, segui então por Pousada e passei por cima do Rio Aguilhão..


Aqui comecei uma breve subida até Sarnadelo e Santa Marta de Penaguião, um espetáculo esta zona, as imensas vinhas por aquelas encostas.


Passei Santa Marta e por uma brutal descida fui passando São Miguel de Lobrigos, São João de Lobrigos, Outeiro, Casaria, São Gonçalo, Sra da Graça e entrei na bonita cidade da Régua..

Antes de entrar na ponte pedonal parei no Restaurante Katequero para comer alguma coisa, uma sopinha e uma sandocha bom para ganhar forças para a subida que tinha pela frente...


Ali encontrei dois ciclistas que tb andavam a percorrer a Nacional 2, meti conversa e mais duas amizades que ali fiz.

Eles tinham, planeado fazer a Nacional 2 em 5 dias e eu em 4, ali estivemos na conversa durante a refeição, com a barriga mais aconchegada segui viagem, despedi-me dos colegas e lá me fiz á boa subida...


Passei a Ponte Pedonal e por umas belas curvinha e com as vinhas sempre como pano de fundo fui passando Pontão, Quintião, Sande e Lamego..


Aqui fiz uma paragem para beber alguma coisa fresca, o calor já apertava, tinha que arrefecer o motor, refresquei sentadinho numa esplanada bem sossegadinho..
Com a temperatura do motor mais baixa segui com as pedaladas, tirei umas fotos ao belo Santuário e por uma rua de calçada sai de Lamego..


Agora com a paisagem mais florestal passei Penude, Purgaçal, Matançinha, Magueijinha, Vila Nova, Magueija e para terminar a subida cheguei ao Alto de Bigorne...

Bela subida esta, a inclinação não é muita mas a subida é bem longa, no alto segui para Mézio, Colo do Pito e mais um pouco cheguei a Castro Daire.

Aqui mais uma paragem na Pastelaria da Serra para morfar mais alguma coisa, não se pode desperdiçar uma boa pastelaria, temos que provar as belas iguarias...


Com mais gasolina para gastar até Viseu fui até á Fonte dos peixes encher os bidons com água fresca, sai de Castro Daire e desci até ao Rio Paiva.

Antes de chegar á ponte encontrei os amigos Carlos e o Júlio no abastecimento que as suas esposas traziam no carro de apoio..


Parei para os cumprimentar e ainda me ofereceram comida, mas tinha comido uns metros atrás, já não cabia mais nada, depois de dois dedos de conversa segui até á ponte..

Pele frente tinha mais uma subida até Ribolhos, Ribolhinhos e Termas do Carvalhal, com mais uma sobe e desce lá fui passando Arcas e Calde..

Aqui perto numa reta encontrei um colega de pedaladas com quem meti conversa durante uns kms, depois de umas pedaladas despedi-me dele e continuei até Bigas..


Aqui fiz uma paragem no Bar Cristina para refrescar com um bujeca fresca, como já faltava pouco para o final nada melhor que ir hidratando aos poucos, com o calor que estava a cervejinha caiu mesmo bem..
 Já mais fresco lá segui para os últimos kms até Viseu, passei Lordosa, Casal Goso, Campo, Monte da Madalena, Abravesses e entrei na bela cidade de Viseu..


Tirei a foto da praxe á entrada da cidade e lá fui passando nas ruelas até á Residencial onde ia pernoitar, lá tinha o meu lugar á espera..


Registo feito fui descansar o corpinho, banhinho tomado fui dar uma volta pela cidade e fui ver do belo jantarinho para repor algumas calorias perdidas..

Com a barriguinha cheia regressei á Residencial para descansar o cortiço e ganhar energias para gastar no outro dia de pedaladas até á bela vila da Sertã..

Uma primeira etapa com aluma montanha, mas gosto mais assim sempre se por ver as belas paisagens lá do alto...

E assim foi o relato do primeiro dia de nacional 2 sempre com o lema PEDALAR PARA DESCONTRAIR...




domingo, 18 de junho de 2017

AMÊNDOA-PRAIA FLUVIAL DE CARDIGOS

Hoje na voltinha tive a companhia do Marco Dias, uma voltinha ligeira só para matar o vicio, depois de uma semana mais atribulada tinha que ser uma volta fraca...


Fui ter com o Marco á Pastelaria estrela Doce para beber um cafézinho e como já lá estava-mos aproveitamos para provar os pastelinhos de nata...eheheheeh

Tudo pronto lá seguimos para a voltinha, não sabíamos bem para onde ir mas ao descer a rua lá decidimos o trajeto..

Saímos da Sertã pela Venda da Pedra, subimos depois até á Junceira, entramos na Nacional 2 e passamos pela Cumeada e Chão da Telha..


Um pouco mais de descida e passamos a ponte que passa por cima da Ribeira da Isna, depois da ponte toca a subir, nas calmas lá fomos sempre na conversa e passamos Fundada, Milriça e chegamos ao alto onde se avista Vila de rei...
Descemos um pouco e na segunda rotunda cortamos á esquerda em direção da Portela, Palhota e Amêndoa.

Á entrada da Amêndoa seguimos á esquerda para os Palheirinhos, Revelha, Pé da Serra, Vinha Velha, Granja e entramos no Robalo.


Subimos um pouco e fomos até á casa dos meus pais para lhe fazer um visita, foi uma visita de médico, ali nos entretemos a dar dois dedos de conversa, mas tínhamos que seguir viagem...

Despedidas feitas seguimos com a voltinha, fomos até ao Cabo onde paramos na fonte para atestar os bidons, o calor já apertava e a água não pode faltar.


Águinha fresca e toca a seguir, descemos até á Gargantada e continuamos até ao Freixoeiro, aqui cortamos á esquerda para as Sarnadas e mais umas pedaladas chegamos a Cardigos..

Fizemos uma paragem no café Central para beber alguma coisa, o dia está bem quente por isso temos que ingerir muitos líquidos

Mais uma bebida e seguimos, fomos até á Bonita Praia Fluvial de Cardigos dar uma vista de olhos, o Marco não conhecia, assim fica a conhecer..


Demos uma espreitadela e tivemos azar que o bar ainda está fechado, saímos dali secos sem molhar o bico, tínhamos que beber águinha quente..ehehehehe

Tiramos umas fotos e seguimos, fomos até á Chaveira, Carrascal, Vales e Carvalhal, cortamos á direita e fomos direitinhos á Praia Fluvial de Aldeia Ruiva mas tivemos azar que o bar ainda está fechado..


Passamos a ponte fomos parar no Koisas Bar para beber alguma coisa fresca, sentados na esplanada a refrescar, ali é que se estava bem, maravilha..
Estava-se ali bem mas era hora de seguir com a voltinha, continuamos pela Maljoga, Moinho Branco, Vale do Pereiro, Moinho do Cabo, Portela dos Bezerrins e chegamos á Mougueira.


Eu ficava já por ali o Marco era só descer até á Sertã onde tinha deixado o carro, despedidas feitas e bora ver do almoço....

Uma voltinha num domingo de manhã com muito calor, o pior era os incêndios que andavam a deflagrar ali na zona, uma tristeza...
E assim foi mais uma voltinha com o lema PEDALAR PARA DESCONTRAIR...