quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

PORTO DO TROVISCAL

Hoje foi dia de mais umas pedaladas para abrir a pestana, o tempo está mais ou menos, não chove mas está um bocadinho fresco, mas sabe bem uma voltinha bem cedinho...


Sai de casa e subi até á Portela, cortei á esquerda e lá fui passando Ramalhosa, Poiares, Póvoa, Aldeia Velha e Várzea dos Cavaleiros..


Passei o empedrado para acordar um pouco e segui com a voltinha, passei ao lado do Sobral e fui até ao Alto do Sorvel, aqui já ia quentinho, a subida deu para aquecer um pouco...


Aquela hora só se consegue ver as luzes das aldeias ali ao redor, mesmo assim tem-se uma bela  panorâmica, gosto muito de pedalar naquela estradinha...


Continuei depois pelo Figueiredo, Almas do Cousido, Feiteira, Carvalhal e Porto do Troviscal, uma bela descida até á ponte que passa por cima da Ribeira da Sertã..
Passada a ponte toca a subir, uma ligeira subida até ao Troviscainho, uma subida boa de se fazer, subida feita e cheguei ao cruzamento da estrada antiga que liga a Sertã a Oleiros..


Cortei á esquerda e lá fui pelo Vale do Inferno, Troviscal, Cruz do Fundão e Maxial, aqui já dava para ver o sol a espreitar lá atrás da serra, uma bela paisagem...


Depois do Maxial era sempre a descer até á Sertã, lá segui sempre a dar ao pedal e depois da Rotunda Rompe Terra entrei na Sertã..


Passei a vila já movimentada, segui até ao Montinho e com mais umas pedaladas cheguei á Mogueira depois de uma bela voltinha bem cedinho...

E assim foi mais uma voltinha com o lema de sempre, PEDALAR PARA DESCONTRAIR...





segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

VERGÃO

Comecei bem a semana, uma voltinha bem fresquinha numa segunda feira não podia ser melhor para dar incio a uma semana que vem ai pela frente...

Sai de casa e subi até á Portela, bem fresquinho e com uma bela camadinha de geada segui em frente até ao Moinho do Cabo, Vale do Pereiro, Moinho Branco e Maljoga...


Passei a ponte que passa por cima da Ribeira da Isna e toca a subir, uma subida longa boa para aquecer um pouco, passei Carvalhal e mais um pouco cheguei ao cruzamento que segue para Cardigos..


Cortei á direita e fui até ás Cimadas Cimeiras, um pouco mais á frente novamente á direita passei pelas Cimadas Fundeiras e mais umas pedaladas entrei no Vergão...


Ainda lusco fusco lá passei a aldeia, não se via ninguém, ainda estava tudo recolhido, mais uma vez segui pela direita e fui até á aldeia do Rafael..


Na descida estava bem fresquinho mas depois de passar novamente a Ribeira da Isna tinha um bela subidinha até aos Vales da Longra..


Passei pelo Pisão e comecei a subir, soube mesmo bem a subida, o frio foi embora com a subida, uma subida curta mas das boas, assim cedinho e fresco até que sabem bem estas subidas..

Já no alto segui pelos Vales da Longra e Marmeleiro, cortei á direita e desci até á Ribeira da Tamolha, passei a ponte e fui até ao Vale Cortiço..


Segui em frente passei pela Junceira e desci até á Sertã, entrei pela Venda da Pedra e depois de passar a vila foi subir uma pouco até á Mougueira...


Cheguei a casa depois de mais uma voltinha bem fresquinha, em alguns sítios estava tudo branquinho, uma bela camada de geada, é bom para enrijar os ossos...

E assim foi mais uma voltinha com o lema PEDALAR PARA DESCONTRAIR...





quinta-feira, 11 de janeiro de 2018

CORUJOS

Hoje mais uma manhã com voltinha ainda lusco fusco, o tempo estava com bom aspeto e assim era de aproveitar...


Sai de casa e subi até á Portela, cortei é direita segui pelo Salomão, Carrascal, Outeiro das Colheres, Bela Vista e Cumeada..


Aqui apanhei umas pingas mas coisa fraca, foi só para meter medo, segui com a voltinha e passei pelo Castanheiro Grande, Valongo, Mós, Casalinho, Atalaia e Palhais..


Cortei depois á direita e desci até á Ponte dos Cavalos, a descida foi feita com alum cuidado, a estrada estava molhada e não queria deitar a casaca...

Depois da ponte toca a subir até aos Escudeiros, uma bela subidinha para aquecer nesta manhã bem fresquinha...


Já no alto segui pelos Corujos e Quintã, um pouco mais á frente parei no Café o Condestável para beber um cafézinho, mesmo bom para aquecer a alma...

Café tomado segui por Cernache do Bonjardim, Alto Ventoso, Vale da Lata, Porto da Cruz, Fonte da Mata, Faleiros, Fonte Branca e entrei na Sertã pela Rotunda da Eirinha...



Passei a vila e subi até ao Montinho, com mais umas pedaladas cheguei a casa depois de mais uma bela voltinha pela fresca...

E assim foi mais uma voltinha com o lema PEDALAR PARA DESCONTRAIR...








segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

SABUGAL-ALMEIDA

Ontem foi dia de uma voltinha mais longa lá para os lados do Sabugal, a convite do meu irmão lá fui dar umas pedaladas lá mais para a Beira Alta..

Sai de casa bem cedinho e fui ter a Castelo Branco, carreguei a bike do meu irmão e fomos até á Rotunda da Racha ao encontro de mais dois colegas para ir dar umas pedaladas de fininha..


Seguimos até á bela Vila do Sabugal, encostamos as viaturas, preparamos as coisinhas e lá fomos á voltinha, um belo quarteto, eu o meu irmão o Hugo Martins e o Luís Pedro...


Quando saímos do Sabugal o tempo estava um pouco esquisito, tinha cara de chuva mas a malta não teve medo, demos inicio á voltinha e seguimos em direção de Rapola do Côa e Quintas São Bartolomeu...


Ai íamos nós sempre a descontrair, o dia estava cinzento mas nada que nos fizesse ficar triste, pelo contrário as voltinhas de bike são uma maravilha, não deixam ninguém triste, sempre com um sorriso na cara..

Continuamos pelas Termas do Cró, Peróficos, Cerdeira, Parada, Aldeia Nova e descemos até ao Rio Côa, paramos em cima da ponte nova para tirar umas fotos á Ponte Romana...

Veio-me á memórias de há anos atrás quando ali passei em cima da ponte romana quando fiz o Gr 22, a Grande Rota das Aldeias Históricas, essa tb foi uma bela aventura...

Tiradas as fotos seguimos viagem, tínhamos depois a bela subida até Almeida, nas calmas lá seguimos subida fora...


Entramos nas muralhas da vila e por ali andamos um bom bocadinho a ver as bonitas ruelas e alguns monumentos...

Com a hora de almoço a chegar fomos até ao Restaurante Granitus para comer alguma coisa, eu o meu irmão e o Luís Pedro comemos um belo Rancho e o Hugo comeu uma bela Posta de vitela...


Com tanta comida ali nos entretemos a degustar o belo almoço enquanto púnhamos a conversa em dia, depois de bem comidos e bem bebidos era hora de nos pormos ao caminho para o resto da voltinha..


Chegamos á rua e estava a cair umas pinguinhas, pensamos logo vai ser molha certa, vamos mas é dar ao pedal, mas tivemos sorte a chuva passou e o sol até nos fez uma curta visita...
Sempre a boa velocidade depressa chegamos a Vilar Formoso, passamos a vila e seguimos em direção de Nave de Haver, Aldeia da Ponte, Alfaiates, Soito e Quadrazais..


Aqui tínhamos uma maravilha á nossa espera, uma bela passagem pelo Parque da Reserva Natural da Serra da Malcata, uma maravilha, uma estradinha espetacular com umas paisagens brutais...


Uma delicia passar ali naquela estradinha, fomos pedalando e desfrutando o que nos rodeava, seguimos um pouco ao lado da Barragem do Sabugal e fomos ter á Aldeia da Malcata, um espetáculo....

Para terminar a voltinha demos mais umas pedaladas e chegamos ao Sabugal de onde tínhamos saído umas horas antes, tivemos muita sorte com a chuva que ameaçou mas não nos molhou...

Chegamos aos carros, arrumamos as bikes, mudamos de roupa e fomos comer alguma coisa, fomos direitinhos a uma pizzeria já conhecida de outras voltinhas, mas estava fechada...


Descobrimos um café e ali nos sentamos para comer alguma coisa, ali contamos umas belas histórias enquanto trincávamos umas belas tostas e bebíamos uma bujeca fresca...
A voltinha tinha sido um espetáculo a companhia tb mas era hora de regressar a casa, despedidas feitas eu e o meu irmão regressamos a Castelo Branco, o Hugo e o Luís vinham logo atrás de nós..


Deixei o meu irmão em casa e regressei á Sertã satisfeito com mais uma bela voltinha com uma excelente companhia, belos companheiros e Hugo Martins e o Luís Pedro...
E assim foi mais uma voltinha com o lema PEDALAR PARA DESCONTRAIR...






sexta-feira, 5 de janeiro de 2018

VOLTINHA MOLHADA

Os senhores do tempo não se enganam mas eu é que me enganei, hoje bem cedo levantei-me e fui há janela, parecia estar bom tempo, tomei o pequeno almoço e toca a pedalar..


Quando sai de casa não chovia mas estava quase, subi até há Portela e cortei á direita para Salomão, Carrascal, Outeiro das Colheres, Vaquinhas e Vale da Cortiçada..


No Vale da Cortiçada segui até ás Cortes e desci um pouco até á Ponte que passa por cima da Ribeira da Isna, depois da ponte subi um pouco cortei á direita e fui ter á Praia Fluvial do Bostelim..



Até aqui esteve mais ou menos, o pior foi que começou a pingar, subi um pouco até há Cabeça de Poço e aqui é que a chuva começou a engrossar, ia ser uma boa molha, mas que se lixe...


Continuei até á Fundada cortei á direita e entrei na Nacional 2, aqui mais chuvinha da boa, até á Barragem da Ribeira da Isna foi sempre a cair bem..

Passei a ponte e toca a subir até ao Chão da Telha e mais um pouco Cumeada, aqui já ia bem molhado, o fatinho ia todo encharcado, mas até que ia a saber bem....


Para terminar subi até á Junceira e desci pela variante até perto da Sertã, segui pela esquerda e mais umas pedaladas cheguei á Mougueira depois de uma bela molha com o lema PEDALAR PARA DESCONTRAIR...