terça-feira, 19 de junho de 2018

SERTÃ-TORRE-COVILHÃ

Todos os malucos tem uma pancada e de vez enquanto tb me bateu á porta, no domingo passado peguei na minha fininha e fui até ao ponte mais alto de Portugal Continental...


A coisa ia doer mas não sou de me negar a essas aventuras, tinha planeado subir pelo lado de Louriga, mas até lá ainda tinha umas belas subidinhas pela frente..


Sai de casa e fui até á Pastelaria Estrela Doce para beber um cafézinho, obrigado ao Pedro por me ter aberto a porta para o belo café, para uma volta grande o café é bem vindo, é para carregar a cafeína..


Café tomado comecei a voltinha, subi a Rua do Castelo passei Câmara Municipal, Bombeiros e Rotunda Rompe Terra, aqui segui pela antiga estrada que segue para Oleiros.

Com o dia já a raiar lá atrás da serra lá fui indo pelo Casalinho de São Fagundo, Barracão, Maxial da Estrada, Cruz do Fundão, Troviscal, Mosteiro e Oleiros..


Aqui já estava bem quentinho, o calor vinha lá em força, passei Oleiros e continuei pela Foz da Panasqueira, Gavião e Milrico, um pouco mais á frente segui á esquerda para Cambas...


Subi um pouco até ás Rabaças e desci a bela descida até Cambas, a descida passou rápido, quase que nem dei por ela...



Na baixa estava tudo cheio de nevoeiro e um pouco fresquinho, fui até ao Orvalho e fiz uma paragem para comer alguma coisa no Bar da Bombas de Gasolina...


Para não perder o balanço continuei a voltinha, passei pelas Bogas de Baixo, Barroca, São Martinho e em Silvares cortei á esquerda para Ourundo...

Passei a ponte que passa por cima do Rio Zêzere e mais uma subida pela frente, continuei até Casegas onde fiz mais uma paragem para comer, tinha que comer se não não conseguia pedalar..eheeheheh
Depois de ter trincado alguma coisa lá segui viagem, e ainda bem que tinha comido porque até Sobral de São Miguel foi um sobe e desce ligeiro, o pior vinha depois...

Depois do Sobral e até ao Alto das Pedras Lavradas a coisa deu luta, uma bela subida sempre a levar com o sol, até apitava, só se ouviam as cigarras...ehehehe


No alto e safo da subida deu para respirar um pouco, segui para Vasco Esteves, Outeiro da Vinha, Alvoco da Serra e Louriga..


Até aqui nem foi mau de todo, já em Louriga  mais uma paragem no Restaurante o Vicente para trincar alguma coisa..

Uma bela sandes de queijo da serra, uma sopinha e uma cervejinha fresca foi o meu reforço para a subida que tinha pela frente...
Barriguinha mais composta segui, a partir daqui é que coisa ia doer, subi um pouco até á rotunda de Louriga, cortei á direita e bora á subida...


Sempre descontraído lá fui subindo, o calor estava a apertar bem, tinha água com fartura por isso vamos lá até ao alto..


De vez enquanto dava para aliviar um pouco, no Parque de Merendas encontrei um pastor a guardar o seu rebanho, depois vieram umas curvinhas daquelas bem boas, deu para suar um pouco...


Mais umas pedaladas e mais umas curvinha cheguei á estrada que vem de Seia, aqui pensei que aliviava um pouco mas a subida continua sem dar descanso..


Mais á frente já dava para ver a Torre, o final da subida já estava á vista, lá fui indo e depois de passar o cruzamento que vem da Covilhã e mais umas pedaladas cheguei ao topo...

Paragem para a foto da praxe e ver as paisagens, uffaaaa que esta deu para suar um pouco, depois da foto e de ver as belas paisagens segui para o resto da voltinha..


Agora é que era fixe, a descida até á Covilhã, descida boa mas com calma, lá fui indo até ás Penhas da Saúde, Cantar Galo, Santa Maria e entrei na Covilhã...

Fui até ao campo de Futebol da Estação onde estava o meu filho num torneio de futebol, tinha lá a família á minha espera...


Cheguei arrumei a bike, mudei de roupinha e ainda deu para ver a entrega da Taça de Campeões Sub 10 naquele torneio, foi uma voltinha mesmo fixe e com um final assim, foi á maneira...

Uma volta bem durinha e o calor a apertar, subidas boas e longas, descidas boas que souberam bem para aliviar as pernas de vez enquanto...
E assim foi mais uma bela voltinha com o lema PEDALAR PARA DESCONTRAIR...





sábado, 16 de junho de 2018

ALPE DI NEGGIA

Ultimo dia de pedaladas por terras alpinas, estava programado umas subidas mais longas mas a neve que caiu durante o inverno foi muita, por isso muitas passagens estavam fechadas...


Mas como a malta é desenrascada alinhavamos uma voltinha com saída mesmo da porta de casa, e só vos digo uma coisa, aquilo era uma subida daquelas bem boas..


Bikes prontas começamos voltinha, sempre pelo meio de uma bela floresta lá fomos pedalando, de vez enquanto pelo meio das árvores dava para ver o Lago Maggiore..


Uma bela paisagem, a subida estava a ser bem durinha mas a malta estava com vontade, encontramos muitas casinhas escondidas no meio da floresta, ali vive-se bem....


Depois de 28 curvinhas daquelas volta a trás, 10km e um pouco mais de 1000 D+ chegamos ao cimo do Alpe de Neggia...
Uffaaaaa que esta deu para suar, o dia estava primaveril mas no alto estava bem fresquinho, ali repousamos um pouco a ver as belas paisagens, mais um sitio espetacular que fica na memória..


Não deu para ir para os lados da montanha, mas aquela subidinha não ficou nada a trás, umas fotos depois lá vestimos os corta ventos e toca a dar gás descida fora..


Umas belas paisagens foi o que encontramos pela descida fora, depressa passamos Indemini e entramos na Itália, muitas fronteiras passamos naqueles dias, uma coisa doida...eheheheh
Sempre com os olhos nas paisagens passamos Biegno, Fontane di Lozzo, Lozzo, Armio, Veddasca, Graglio, Cadero e Garabiolo...


Aqui fizemos uma paragem para beber alguma coisa, estava quente e nada melhor que beber uma caneca de cervejinha, tínhamos tempo e uma paragem sabe sempre bem...


Ali nos entretemos de volta de umas canecas fresquinhas, a volta estava a ser espetacular, as paisagens brutais e a companhia do melhor...


Mais frescos era hora de seguir viagem, continuamos a descer até Maccagno Com Pino e Veddasca mesmo nas margens do Lago Maggiore..
Já perto da água seguimos por Entiglio, Osracio, Trozano, Pino Sulla e Zenna, aqui entramos novamente na Suíça..


Lá estavam os senhores policias, sempre á coca a ver se a malta ia como deve de ser, passamos a fronteira muitas vezes de bike e não tivemos problema, o pior é quando íamos de carro...


Quase a terminar a voltinha passamos por Dirinella, Caviano, Ronco, San Nazzaro e Vira, aqui seguimos á direita e subimos até á casa onde estávamos instalados..


O ultimo caroço da voltinha, upa upa e chegamos ao destino, foi uma voltinha espetacular, subidas das boas, paisagens maravilhosas, a ultima volta foi a cereja no topo do bolo...
Arrumamos as bikes tomamos um banho e fomos passear, estavam chegar ao fim uns dias de pedaladas por sítios espetaculares...


No dia seguinte bem cedinho regressamos, foram 26 horas sempre a andar até chegarmos a casa, correu tudo bem sem precalços, tanto de carro como de bicicleta, tudo 5 *****..


Terminou assim uma aventura por terras alpinas, uma belo grupo de amigos que decidiram ir pedalar por umas estradinhas bonitas, umas paisagens do melhor que pode haver..


E foi assim uns dias de pedaladas sempre com o lema PEDALAR PARA DESCONTRAIR..






sexta-feira, 15 de junho de 2018

SENHORA DA CONFIANÇA

Sexta feira é dia de dar umas pedaladas bem cedo, nada melhor que acabar a semana com uma voltinha de fininha por umas belas paisagens...


Sai de casa e desci até á Sertã, já encontrei gente a ir para o trabalho, nesta altura muita gente prefere levantar cedo e ir trabalhar pela fresca, e á tarde descansa por causa do calor...


Depois da Sertã segui por São João do Couto, Zona Industrial, Alto da Carreira, Aveleira e Tapada, as manhãs estão mesmo agradáveis , uma temperatura á maneira...


Já mais rolante segui pelo Vale Cortiço, Póvoa da Ribeira Cerdeira, Casal da Escusa, Ramalhos, Amieira, Vale da Froca, Painho e Pedrogão Pequeno...


Quando sai de casa tinha planeado ir ver a Barragem do Cabril no Miradouro da Sra da Confiança, e assim lá fui subindo um pouco até ao alto..


Encostei a bike e ali estive um pouco a ver aquela bela paisagem, logo cedinho é que sabe bem, só se ouviam os passarinhos, que maravilha..


Depois de umas fotos segui com a voltinha, não é muito habitual  nas minhas voltinhas fazer ida e volta pelo mesmo trajeto, mas hoje calhou...


Segui e regressei pelo mesmo caminho até ao Vale Cortiço, aqui uma paragem para beber um cafézinho, bom para carregar a dose de cafeina logo cedo..

Café tomado regressei á Sertã, encontrei a vila já mais movimentada, para terminar foi subir um pouco até á Mougueira..


Cheguei a casa depois de umas belas pedaladas sempre com o lema PEDALAR PARA DESCONTRAIR...