domingo, 23 de julho de 2017

BARRAGEM DE SANTA LUZIA-ADEMOÇO

Hoje foi dia de voltinha na companhia do amigo Silvério, já não me lembro da ultima vez que pedalei na companhia dele, já faz muito tempo, mas é sempre um prazer pedalar com dele..

Sai de casa na minha viatura e fui até á bela vila de Oleiros onde marquei o ponto de encontro com o Silvério para dar inicio á nossa voltinha.


Cheguei lá estacionei a viatura e pouco depois lá vinha ele ainda com os olhos meio erremelados, lá preparamos as bikes e as coisinhas todas e seguimos para uma bela voltinha.


Saímos de oleiros e para começar foi logo a subir até ao Casal Novo, subida longa mas muito agradável, nas calmas e sempre na conversa lá fomos indo subida fora..


No alto cortamos á direita e era hora de descer, até á ponte de Álvaro foi sempre a boa velocidade, em cima da ponte que passa por cima do Rio Zêzere foi tirar a foto á bonita aldeia de Álvaro...

Depois da ponte mais uma boa subida até Maria Gomes, esta tb um pouco longa, hoje foi dia de fazer umas belas subidinhas, daquelas que a malta gosta, pois as melhores paisagens estão lá no alto.


Passamos Maria Gomes e mais um pouco de subida cortamos á direita em direção da Pampilhosa da Serra, mais á frente seguimos á direita e fomos ter ao Aeródromo da Pampilhosa da Serra..

Era para continuarmos a voltinha de avião mas tivemos azar não havia lá nenhum, tivemos que continuar de bicicleta...

Demos meia volta e continuamos com as pedaladas, por uma boa descida fomos ter á Nacional 112 um pouco antes de Sancha Moura.


Continuamos e mais do mesmo, uma boa subida pela frente, nas descidas nem temos tempo de apreciar as paisagens por isso é que escolhemos longas subidas...eheheheeheheh
Passamos Portela do Gavião e mais á frente na Selada da Cova fizemos uma paragem no Café Por do Sol para beber um cafézinho..


Sem tempos cronometrados ali estivemos a beber o cafézinho e a comer alguma coisa enquanto dávamos dois dedos de conversa

Cafézinho tomado seguimos a nossa viagem, passamos pela Portela do Armadouro terra do Toni Carreira, logo de seguida chegamos á bonita Barragem de Santa Luzia..

Ali nos entretemos um pouco a tirar uma fotos e a ver as belas paisagens, mas o tempo passava e tínhamos que continuar.

Descemos um pouco e fomos até ao Casal da Lapa, uns metros mais á frente cortamos á direita em direção do Esteiro, uma boa descida com umas belas curvinhas até á aldeia...

Continuamos ao lado do bonito Rio Zêzere e fomos ter ao Porto das Vacas, paramos para atestar os bidons de água fresca numa fonte mesmo no meio da aldeia.


O dia acordou fresco mas aquela hora já estava calor, nada melhor que levar água fresca para a viagem, seguimos então para Janeiro de Cima e Janeiro de Baixo, umas aldeias de xisto ali ao lado do Rio Zêzere..

Um pouco mais á frente de Janeiro de baixo paragem obrigatória para ver a bela Garganta do Zêzere, ali o Rio tem que se encolher para passar entre umas belas escarpas, um lugar espetacular..


Mais uma catrefada de fotos e toca a seguir caminho, passamos Admoço e sempre ao lado do Rio Zêzere chegamos a Cambas...


Aqui é que era o delas, era o premio de montanha do dia, foram perto de 5 km sempre a bombar, subidinha bem durinha esta, mas nas calmas tudo se faz, sem pressas e sem correrias...
Curva após curva lá fomos ganhando altitude, o que vale é que maior parte da subida é á sombra e com o calor que estava a sombra sabia mesmo bem..

No alto das Rabaças seguimos e fomos ter á estrada nacional que liga Oleiros ao Estreito, cortamos á direita e passamos por Milrico, Ribeiro do Milrico e Foz da Panasqueira.


Ao entrar-mos em Oleiros fizemos uma paragem para beber alguma coisa fresca, juntou-se a nós o cunhado do Silvério, ali refrescamos um pouco com uma bujeca fresquinha, soube mesmo bem depois da voltinha...

Mais dois dedos de conversa enquanto bebíamos a cervejinha, o motor vinha quente mas depois da cervejinha a temperatura voltou ao normal..

Mais frescos despedimo-nos do Cristóvão e lá seguimos para o resto da voltinha, rápido chegamos aos carros e toca a arrumar as bikes, com as despedidas feitas regressei a casa depois de uma bela voltinha..

Uma voltinha bem catita por umas serras com umas paisagens espetaculares e com uma excelente companhia, foi um prazer pedalar na companhia do Silvério, colega de umas belas aventuras e mais por ai andem vir...


E assim foi mais uma voltinha com o lema PEDALAR PARA DESCONTRAIR..




segunda-feira, 17 de julho de 2017

VOLTINHA EM DIA DE ANIVERSÁRIO

Hoje na companhia do Zé Almeida e do Marco Dias fui dar uma voltinha de fininha, a volta tinha que ser curta por motivos familiares..

Sai de casa e desci até á Sertã, ainda encontrei gente que vinha da noite, depois do Festival do Maranho encontrei malta bem alegre...

Lá segui por São João do Couto, Zona Industrial, Alto da Carreira, Aveleira, Tapada, Casalinho, Vale Cortiço e Povoa da Ribeira Cerdeira..

Aqui a subida já tinha passado, já era mais rolante, um pouco mais á frente lá estava o Zé Almeida á minha espera, comprimentos feitos e toca a seguir até ao Castelo onde tinha combinado com o Marco Dias..


Nas Almas da Arnoia lá vinha o Marco ao nosso encontro, aqui com o trio completo seguimos para a nossa voltinha, passamos Castelo, Morlinho e Estradinha..
Aqui seguimos á direita por um sitio agora triste por causa dos fogos, aquilo está tudo preto, as paisagens não são as mesma coisa, mas com calma as coisas vão mudam...


Passamos por Moinho de Vento, Carvalhos e a boa velocidade depressa chegamos á ponte que passa por cima do Rio Zêzere, e com a bela vista da Barragem da Bouçã..


Pela frente tínhamos uma boa subida, passamos Corisco, Marvila, Bairradas, Aldeia Cimeira e mais um pouco entramos em Figueiró dos Vinhos, fomos até á Pastelaria Rota Malhoa para comer alguma coisa..

Ali nos entretemos um bocadinho na conversa e a trincar alguma coisa, o dia tinha acordado fresquinho mas vinha lá calor, era melhor hidratar...


Barriguinha composta continuamos as pedaladas, saímos de Figueiró em direção de Pinheiro Bordalo, Outão, Lameira Cimeira,  Mó Pequena e Mó Grande..

Aqui cortamos á direita e fomos passar na aldeia do Sobreiro, descemos depois até á Ribeira de Pera e toca a subir até Pedrogão Grande...


Já em Pedrogão Grande seguimos pela direita fomos ter á Barragem do Cabril e subimos um pouco até Pedrogão Pequeno.

O Zé Almeida ficava por ali e nos continuamos com a voltinha, despedimo-nos dele e passamos Painho, Vale da Froca, Amieira, Ramalhos e Casal da Escusa..



Aqui o Marco Dias seguiu para o Castelo e eu continuei pela Póvoa, Vale Cortiço, Tapada, Aveleira, Alto da Carreira, Zona Industrial, São João do Couto e entrei na Sertã pela Rotunda da Eirinha..


Fui até ao Bar da Carvalha para beber alguma coisa fresca, mais fresco lá segui até á Mougueira onde cheguei depois de uma bela voltinha com belos companheiros...

E assim foi mais uma excelente voltinha com o lema PEDALAR PARA DESCONTRAIR..





quinta-feira, 13 de julho de 2017

BORREIROS-FUNDADA

Hoje mais uma voltinha logo cedo, esta semana ainda não tinha pedalado, mas hoje lá arranjei um bocadinho para esticar as pernas.

Sai de casa e fui até á Portela, cortei á direita para o Salomão, Carrascal, Outeiro das Colheres, Vaquinhas Cimeiras e Vale da Cortiçada.


Os dias acordam meios fresquinhos, nos sítios mais baixos dá para arrepiar, mas as pedaladas dão para aquecer um pouco...

No Vale da Cortiçada segui á esquerda e desci até á Ribeira da Tamolha, passei a ponte e subi um pouco até ás Cortes..


Aqui já o sol vinha a espreitar lá atrás da serra, os dias já são mais curtos, já se nota bem, mas mesmo assim é sempre bom uma voltinha bem cedinho...
Passei as cortes e lá desci um pouco até á Ribeira da Isna, entrei no Concelho de Vila de Rei e lá segui até ao Vale da Urra..

Aqui já encontrei gente na labuta, começar cedo e trabalhar pela fresca sabe melhor, depois do almoço descansa-se um bocadinho..


Um pouco depois do Vale da Urra cortei á direita para Fundo da Lameira, Borreiros, Relva, Fontainhas e Fundada..


Aqui entrei na Nacional 2 e passei a Barragem da Ribeira da Isna, Chão da Telha e cheguei á Cumeada, fiz uma breve paragem no Café das Bombas para beber um cafézinho..


Saciado com a caféina segui para o resto da voltinha, segui até á Junceira e desci pela antiga N 2 e entrei na Sertã pela Venda da Pedra..
Para terminar subi pelo Montinho e cheguei á Mougueira depois de uma bela voltinha pela fresca..lema PEDALAR PARA DESCONTRAIR..