segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

COVA DAS MALHADAS-TREVIM

Domingo dia de voltinha de roda grossa, desta vez fui dar umas pedaladas pela neve, já á uns anos que andava para ir pedalar na neve, aqui na zona onde cai neve com mais frequência é na Serra da Lousã é o ponto mais alto aqui da região, com a chuva e o frio dos últimos dias preparei as coisas para lá ir dar uma voltinha.



Combinei com o Filipe Alves para ir comigo ao que ele aceitou de imediato.



As coisas durante a noite anterior estiveram um pouco negras é que choveu ás carradas, pensei se de manhã está assim lá se foi a neve, mas quando acordei nem pinga de chuva e fiquei mais contente.


Com a bike na carrinha e tudo preparado sai de casa e desci até á Pastelaria Estrela Doce para o cafézinho da manhã acompanhado do pastelinho de nata.



Com a gula já saciada arranquei e fui ter a casa do Filipe Alves, já ele estava preparado á minha espera, carregamos a bike e seguimos até á Cova das Malhadas, uma casa de cantoneiros escondida na encosta da Serra da Lousã no lado da Castanheira de Pera.



Viatura estacionada as bikes preparadas e lá fomos nós, ali tínhamos que subir um bom bocado até ao Trevim o ponto mais alto da Serra da Lousã, mas até dava jeito para aquecer.
Sem grandes pressas porque a manhã era para curtir a bike e a neve.




Passamos a Casa do Soares um antiga casa do Guarda, lá fomos ganhando altitude e serpenteando a encosta da Serra, quanto mais subíamos mais neve encontrávamos.



A paisagem cada vez era mais espetacular, o contraste do verde e do branco era mesmo bonito.


Mais um pouco e chegamos a mais uma casa do Guarda escondida no meio da floresta coberta de neve, uma imagem que mais parecia o Alasca.


Mais uma carrada de fotos e toca a subir mais um pouco, encontramos um aventureiro de carro que teve de dar meia vota e voltar para trás, aquilo é que era escorregar eheheheheeh.


Mais á frente começou a aparecer mais nevoeiro mas nada que nos tira-se o prazer de pedalar na neve, estava a ser uma boa aventura.
Chegamos ao cruzamento que vai para o Santo António da Neve clicamos umas fotos e seguimos até ao ponto mais alto da voltinha, o Alto do Trevim.


A estrada estava toda congelada cheia de gelo a bike até patinava, o mato ali á beira da estrada estava com uma bela camada de gelo, uma bela paisagem.


Já no Trevim o nevoeiro não deixava ver muita coisa mas tinha valido bem o esforço para chegar ao alto, uma bela experiência na neve.


Depois da foto descemos e fomos ter a um novo parque eólico, cortamos á direita e seguimos por um caminho á meia encosta pelo maio de um pinhal com uma bela panorâmica.


Fomo-nos divertindo pelo meio da neve em alguns sítios com uma boa altura, a bike até se enterrava.



Um pouco mais á frente encontramos o caminho que tinha marcado inicialmente mas como era só um estradão e parecia não ter neve alteramos o trajecto e descemos até ao Coentral.



Como o Filipe nunca tinha andado por aquelas bandas decidi ir-lhe mostrar os belos trilhos do Coentral.
Já por ali pedalei algumas vezes e da-me sempre um enorme prazer ali passar, belos singles e umas belas paisagens.


Chegamos ao Coentral e paramos no café para beber um cafézinho para aquecer a tripa, bebemos o café e comemos uns bolinhos que o Filipe tinha levado, caíram mesmo bem.
Já mais composto seguimos pelo meio da aldeia e fomos sempre ao lado da Ribeira de Pera, umas belas paisagens das quedas de água e uns belos singles até perto das Sarnadas.


Aqui continuamos pelo trilho pedestre até ao Coentral da Barreira, ao chegar ao Coentral da Barreira vimos dois ciclistas, era malta conhecida, o amigo Abílio Carvalho e o Alexandrino Fonseca que tb andavam á cata da neve.
Dois dedos de conversa e lá seguimos o nosso destino.


Para nos era só passar o Coentral das Barreiras subir mais um pouco e descer para a Cova das Malhadas
onde tínhamos deixado a viatura.
Chegamos á viatura com um enorme sorriso de uma bela manhã de pedaladas pela neve que foi um espectáculo, nada de chuva e algum frio mas nada que nos mete-se medo, pensei que fosse pior.


Arrumamos as bikes e regressamos super satisfeitos com mais uma voltinha.


Passei nos Escalos e deixei o Filipe em casa, ficou a promessa de mais voltinhas por esses trilhos fora.


Regressei a casa com mais umas belas pedaladas num dia que foi excelente para umas pedaladas na neve.


E assim foi mais uma voltinha com o lema PEDALAR PARA DESCONTRAIR.


Sem comentários:

Enviar um comentário