terça-feira, 1 de novembro de 2016

MARMELAL-BARRAGEM DA PRACANA-ROBALO

Hoje dia de todos os Santos fui almoçar a casa dos meus pais, mas para ganhar o almoço tinha que ir dar uma voltinha de fininha.


Para encher a barriga antes tinha que queimar algumas calorias, se não eram calorias a mais, por isso lá sai cedinho de casa para a tal voltinha.

Sai de casa e subi até á Portela dos Bezerrins, o dia tinha acordado meio molhado, a estrada estava com algumas possas de água, deve de ter chovido um pouco de noite,  nem dei conta estava a dormir....




Depois da Portela segui em frente e fui passando Moinho do Cabo, Vale do Pereiro, Moinho Branco e Maljoga, depois da ponte que passa por cima da Ribeira da Isna lá segui subida fora...


Uma subida não muito difícil mas um pouco longa, lá fui sempre descontraído até ao Carvalhal, mais umas pedaladas e depois de passar por cima do IC 8 entrei em Proença a Nova.



Fui direitinho á Pastelaria Estrela Doce 2 para o cafézinho e belo pastelinho de nata, encostei a bike e lá fui provar o pastel e ingerir a cafeina.
Com a dose aplicada lá segui a voltinha, sai de Proença e desci pelo Vale Porco até ao Pontão do Laranjeiro, continuei depois em direção das Moitas.


Já mais aliviado das subidas segui sempre na minha pedalada pelas Moitas, Espinho Pequeno, Vale Clérigo, Pedra do Altar, Vale de Mua e a bela descida até ao Rio Ocresa.


Depois de uma boa descida á sempre uma boa subida, passei a Ponte que passa por cima do Rio Ocresa e nas calmas lá fui subindo até ao Perdigão.


Á entrada da aldeia do Perdigão cortei á direita para a aldeia de Vale Figueira e Marmelal, um bocadinho de estrada novo para a minha fininha, era a estrear...


Segui mais um pouco até ao Vilar do Boi, aqui entrei na Nacional 3 antigo IP 2, segui pelo Peroledo e cheguei ao Fratel, mais á frente continuei por uma estradinha ao lado da A 23, uma bela montanha russa.



Uma bela montanha russa que com o balanço das descidas dava para fazer algumas subidas, uma maravilha, passei depois na aldeia da Silveira e cheguei a Gardete.

Passei ao lado da aldeia e desci até á Barragem da Pracana, encontrei a barragem com pouca água, já lá no fundo, ainda vi uns pescadores que ali andavam a ver se enganavam os peixes.


Passado o paredão da barragem segui por uma ligeira subida até perto do Maxial, com mais um sobe e desce cheguei aos Envendos, aqui fiz uma paragem para comer alguma coisa.


Segui até ao Largo da Igreja e fui ao Café da Fonte, comi um bolinho e bebi mais um cafézinho, fiquei mais satisfeito e pronto para mais uns kms.



Sai dos Envendos e segui pelo Vale do Coelho e Furtado, uma pouco mais á frente parei no Miradouro da Ribeira de Eiras, ali estive a ver o belo açude da Ribeira de Eiras,  tirei umas fotos e toca a segui viagem..


Para Mação já faltava pouco, lá fui pedalando e passei a ponte por cima da Ribeira de Paia Fome, que nome mais esquisito deram aquela ribeira, coitada....


Mais uma pouco de subida e entrei na Vila de Mação, hoje era dia de Feira de Todos os Santos, passei pelo meio da vila e pelo meio da confusão, era para parar no café mas decidi seguir...

Muita gente a vender frutos secos, mel e muitos produtos caseiros, as ruas cheias de gente e muitas tendas espalhadas pela vila, uma bonita tradição.
Depois de passar a confusão sai da vila e entrei na grande reta de São Miguel e Vale de São Domingos, o dia estava uma maravilha, uma boa temperatura para umas pedaladas.


Segui depois pelo Pereiro, passei ao lado do Vale da Amêndoa e um pouco mais á frente tinha Chão de Codes, aqui fiz mais um paragem para comer alguma coisa.


Fui até ao Café o Imigrante para comer um bolinho e beber um sumo fresquinho, e para terminar ainda me ofereceram um copinho de Jeropiga, ui ui agora é que era pedalar com força....eheheheh

Sai de Chão de Codes e segui por Chão de Lopes, Lameiras, Cimo do Vale, Vale de Vacas e Amêndoa.


A minha voltinha estava quase no final, uma manhã com uma voltinha espetacular, um tempo do melhor e uma companhia melhor ainda ehehehehehe, a minha sombra...eheheh
Passei pelo meio da aldeia da Amêndoa e continuei pelos Palheirinhos, Revelha, Pé da Serra, Vinha Velha, Granja e cheguei ao Robalo.



Fui pela ultima subida até á casa dos meus pais e ali encostei a bike depois de mais uma bela manhã com umas belas pedaladas na minha fininha.


É sempre bom uma voltinha de bike e depois um belo almoço em casa dos pais, um almoço em boa companhia, a família toda reunida á volta de uma mesa com os pratos recheados de boa comidinha....

E assim foi mais uma voltinha sempre com o lema PEDALAR PARA DESCONTRAIR.



Sem comentários:

Enviar um comentário