domingo, 1 de dezembro de 2013

MOINHO DE AVECASTA-TORRE DE LANGALHÃO

Mais um domingo com uma voltinha bem porreira, mais uma vez em solitário, a malta anda friorenta até tremem, têm medo do frio.

Sai de casa na minha caminete, fui até á Sertã para beber um cafézinho e comer o pastelinho de nata na Pastelaria Estrela Doce, acumular umas poucas de calorias.

Com a café tomado segui até ao Pereiro uma aldeia perto do Rego da Murta, já á uns dias que tinha andado a ver uns trilhos para aqueles lados e pareceu-me que tinham bom aspecto por isso tinha que lá ir dar uma espreitadela.

Cheguei ao Pereiro e estacionei a viatura ao pé da Igreja, preparei a bike o resto das coisinhas e fiz-me aos trilhos.

Segui por alcatrão até Avecasta, era para aquecer é que a manhã estava um pouco fresca, no meio da aldeia cortei á direita e subi até ao Moinho feito de madeira, bem bonito, ali do alto dava para se ter uma bela panorâmica das redondezas.
Depois de umas fotos segui até á Gruta que se encontra um pouco mais a baixo, está vedada com rede, só dá para se ver por entre a rede.

Tiradas umas fotos segui e voltei a Avecasta é que o caminho não tem saída, segui pelo mesmo caminho para mais á frente entrar num single espetacular, fartei-me de falar sozinho, parecia um doidinho ehehehehe.

Um single pelo meio de umas hortas por, entre muros era para todos os gostos, cheguei ao fim do single com um sorriso de orelha a orelha, era só o começo nem sabia o que vinha lá pra frente.

Continuei uma centena de metros pelo alcatrão para entrar novamente num caminho que mais parecia um monte de pedras, que maravilha...
Mais uma vez cheguei ao fim a falar sozinho.

Fui indo até perto de Porto Velho e de Formigais, segui por mais uns trilhos brutais cheios de pedra como a malta gosta até á Ponte Romana da Quebrada do Meio.

Uma ponte com um moinho ao lado já todo em ruínas mas muito bonito, ali estive um pouco a ver o que me rodeava.

Depois de tiradas as fotos da praxe segui, mesmo ao lado da ponte reparei num single e segui por ele mesmo tendo o trakcs no GPS que me mandava seguir para o outro lado, mas aquilo despertou-me a atenção.

E lá fui á descoberta, fui encontrar uma caminho romano uma calçada com pedras enormes, mais uma vez parecia um maluco a falar sozinho pelo caminho fora.

Mais uma pedaladas e cheguei á Quebrada de Cima continuei e entrei em outro single até um parque de merendas no meio do nada, tinha uma ponte em madeira para o pessoal passar a ribeira da Murta.
Mais uma paragem para ver o que me rodeava e tirar umas fotos.

Continuei e subi até á aldeia do Marques, segui um pouco por alcatrão até perto da Venda do Preto, cortei á esquerda e segui pelo single single do dia.

Foram perto de 2 km por uma encosta abaixo que nem vos digo nada, mais uma vez a falar sozinho, e cheguei ao fim com um sorriso dos grandes, estava a chegar ao fim e foi a cereja no cimo do bolo.

Segui depois por uma estrada empedrada até ás Relvas e Casal Novo, segui á direita por meio de um pinhal e pelo meio de umas hortas para ir á Torre do Langalhão.

"A Torre do Langalhão foi construída na Idade Média, com o intuito de reforçar a linha defensiva da Região. Actualmente, restam somente as ruínas onde são visíveis algumas das primitivas seteiras e restos dos cunhais."


Não foi fácil chegar ás ruínas da Torre, não estava a encontrar o caminho para lá pois tb não á caminho para lá só por um single cheio de tojos.
São uma vergonhas os nossos governantes, falando tb dos Presidentes de Junta, umas ruínas que nem têm caminho para lá nem informação nenhuma, ao redor da Ruína tudo cheio de mato, tudo abandonado, é a porcaria de governantes que temos.

Alcatrão sabem eles por em sítios onde não passa nada e outras coisa onde gastam o dinheiro mal gasto.

Depois de umas arranhadelas cheguei ás benditas Ruínas, dei a volta e tirei umas fotos e voltei novamente ao caminho para seguir até ao ponto de onde tinha partido para mais uma voltinha.

Cheguei á minha caminete satisfeito com mais uma voltinha espetacular em que me fartei de falar sozinho e desfrutei uns belos trilhos.
E assim foi mais uma voltinha com o lema PEDALAR PARA DESCONTRAIR.

" Não tenham medo, eu falo sozinho mas não faço mal ""


3 comentários:

  1. sempre que há novas passeatas venho sempre ver por onde anda o amigo, não comento mas ando por aqui a cuscar estas belas imgens
    abraço

    ResponderEliminar
  2. Parabéns Sr. Cabaço... essa sede de aventura e vontade de descobrir novos trilhos e locais é contagiante! Fico pasmado com a quantidade de singles que consegue descobrir em zonas que nunca andou (digo eu)!! Excelentes fotoreports!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado Joel, gosto de descobrir trilhos novos, sem saber o que me espera, nunca tinha passado nestes trilhos foi tudo novo.
      Foi uma manhã bem porreira.
      Abraço

      Eliminar