segunda-feira, 16 de setembro de 2013

ÁGUA FORMOSA-PENEDO FURADO

Mais um domingo e mais umas pedaladas, desta vês de fui de roda grossa, fui ver uns trilhos para ir fazer uma volta com uma malta no próximo domingo.


Tive que ir ver umas passagens que não tinha a certeza se dava para passar ou não, e encontrei uns trilhos espetaculares.


Sai de casa e passei na Pastelaria Estrela Doce para beber um cafézinho e comer um pastelinho de nata.


Fui de carro até á aldeia das Relvas perto de Vila de Rei, encostei a viatura preparei a bike e lá fui eu dar umas pedaladas.


Sai das Relvas e entrei na terra, segui por um caminho que já conhecia até ao Casal Formoso, Borreiros e Casais de Cima, em alguns sítios andei a inventar um pouco por uns singles que ia encontrando, alguns bem engraçados.

Lá fui continuando até á Aldeia do Couço e Portela do Curral, aqui tb encontrei uns singles muito fixes onde me diverti um pouco.

Depois de curtir um pouco nos singles subi até á estrada que liga a Amêndoa a Vila de Rei, passei e fui ter á Quinta das Laranjeiras.


Passei  perto do Vilar do Chão e mais á frente entrei no espetacular single até á bonita aldeia de xisto de Água Formosa.

Andei um pouco pelas bonitas ruelas e ainda tive tempo de provar uns belos figos bem docinhos.


Com a aldeia vista segui por mais um belo single sempre ao lado da ribeira sempre com umas belas paisagens.

Ao fim do single entrei num estradão onde já tinha passado algumas vezes e para meu espanto estava alcatroado, o que as eleições fazem, é só engraxar, lá segui pela estrada nova até á aldeia da Lousa.

Na Lousa entrei na rota das Conheiras um percurso onde se pode ver os grandes montes de pedras redondas.

Continuei e desci até á Ribeira de Codes, aqui tive que passar a pé, não é que a ribeira leva-se água é que com as pedras que o leito tem não dá mesmo para pedalar, encontrei umas passagem bem engraçadas.

Passada a ribeira fui até perto da aldeia de Codes, aqui encontrei um fantástico single que mais parecia uma selva, sempre ao lado da Ribeira de Codes, sempre em singles cheguei á Ponte de Codes.

Passei a ponte para o outro lado e depressa cheguei ao Penedo Furado onde parei no bar que ali se encontra para comer e beber alguma coisa.


Com a barriga mais composta era hora de seguir e fui indo mais uma vez sempre ao lado da ribeira até que encontrei um trilho que tive que levar a bike ás costas por umas escadas feitas na pedra, é o que acontece quando se escolhe percursos pedestres.
Lá fui subindo e vendo a bonita cascata que desce pela rocha, uns cantinhos bem bonitos.


Cheguei ao cimo e parei para ver as belas vistas sobre os vales ali á volta e tb para descansar um pouco.

Com as horas a passar tinha que seguir caminho, lá fui pedalando até ao Brejo Fundeiro onde segui por mais um belo single.

Mais um single e mais umas arranhadelas mas nada de mais, as silvas cecas e os tojos bem afiados até cortam.
Passado o single tinha uma bela subida á minha espera, passei ao lado do Brejo Cimeiro e quase no cimo passei  Vila de Rei, subi mais um pouco e cheguei ao Lavadouro.

Um pouco mais á frente entrei na estrada que liga Sertã a Vila de Rei, parei na Fonte da Milriça para beber um pouco de água fresca e desci até ás Relvas de onde tinha partido.

Arrumei a bike e fui até ao Restaurante o Eléctrico para beber uma bjeca fresquinha, é que o calor já estava a apertar, já mais fresco peguei na viatura e regressei a casa satisfeito com mais umas belas pedaladas.

E assim foi mais uma voltinha com o lema PEDALAR PARA DESCONTRAIR.



Sem comentários:

Enviar um comentário